Lavanda – Francesa Família: labiadas (Lavandula officinalis) sinônimo; L. angustifolia, L. Vera

Lavandula officinalis

Características: A lavanda é facilmente identificada pelo seu aroma fresco e limpo, extremamente agradável.

É originária das regiões montanhosas dos países mediterrâneos. Era muito conhecida pelos gregos e romanos, que utilizavam esta erva em seus banhos.

O nome do seu gênero (Lavandula) é originado do latim “Lavare”, que significa lavar.

Muito utilizada em banhos de purificação e como perfume. Pelo seu poder anti-séptico, foi amplamente utilizada na Europa durante a primeira e segunda guerra mundial para limpar ferimentos de soldados.

A lavanda é um arbusto de pequeno porte, que mede entre 20 e 60 cm de altura. As folhas são estreitas e alongadas e suas flores são de cor azul ou violeta.

Propagação: pode ser feita por sementes ou estacas de aproximadamente 15 cm de comprimento, retiradas de galhos novos, porém não muito frágeis.

Cultivo: esta planta prefere os ambientes ensolarados, mas protegidos do vento. O solo deve ser bem drenado, arenoso, poroso e rico em húmus. Por isso recomenda-se afofar a terra se esta ficar compactada no decorrer do cultivo.

O espaçamento ideal entre as plantas é de 50 cm por 1m. É uma planta de fácil cultivo, pois resiste bem tanto ao frio quanto ao calor. Apesar de facilmente cultivável, às vezes é difícil obter a sua floração.

A estimulação da florada ocorre quando a planta passa por um período de clima frio. As flores normalmente estão prontas para a colheita na primavera.

Não necessita de regas constantes. A irrigação deve ser feita preferencialmente nas horas mais frescas do dia. Após a floração, deve ser podada para estimular o desenvolvimento de nova brotação.

Para obter o máximo do perfume que a lavanda pode oferecer, deve-se colher as flores logo que a planta começa a florescer.

Faça pequenos raminhos e coloque para secar em ambiente fresco e ventilado. Pode-se usar os ramos secos para perfumar gavetas e armários, bem como ambientes, quando usados em maior quantidade.

Se você escolher cultivar a lavanda em vaso, não deve misturá-la com outra planta.

Descrição

O óleo essencial de lavanda é provavelmente o óleo mais utilizado. Possui muitas propriedades, é um calmante natural para o sistema nervoso, ajuda a equilibrar os estados emocionais como histerias e depressões, acalma e relaxa. Sendo um sedativo muito eficaz.

Obtido na destilação das folhas e caules da lavanda.

Desde os tempos antigos foi utilizado como analgésico, e antibiótico. A lavanda possui efeitos antiespasmódicos, antissépticos, cicatrizantes, diuréticos, repelente de insetos, anti-enxaqueca, ajuda a restabelecer a menstruação, hipotensor, parasítico, sudorífico, expectorante e antirreumáticos.

Usos do óleo essencial de lavanda:

  • Inalação.
  • Aerossol de ambiente, evaporador, incenso.
  • Cosméticos.

Aplicações como compressa fria ou para curar dores de cabeça e enxaqueca colocar algumas gotas de água fervida e inalar.

Uma toalha quente envolvida com lavanda acalma o esgotamento nervoso.

Um banho de lavanda também é ótimo para combater a insônia.

Precauções – óleo essencial de lavanda:

  • USO EXTERNO e não deve ser ingerido.
  • É altamente concentrado, devendo ser diluído antes de utilizar na pele.
  • Manter fora do alcance das crianças.
  • Não utilizar em zonas sensíveis da pele ou olhos.
  • Manter longe do calor e luz solar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *