Jambú

O que é o jambú?

O jambú também é conhecido pelos nomes de agrião-do-pará, agrião-da-amazônia e agrião-do-norte, abecedária, agrião-bravo, agrião-do-brasil, botão-de-ouro, erva-maluca, jabuaçú, jaburama, jamaburana, mastruço e nhambu.

A planta é originária da região amazônica, ainda que possa ser cultivada em outras regiões do mundo, sendo encontrada ainda no sudoeste asiático.

Os ramos, as folhas e as flores do jambú podem ser consumidos crus em saladas e aparecer em preparações cozidas, refogadas ou assadas. Para você ter uma ideia, existe até uma pizza de jambú.

A planta também é utilizada em diversas receitas típicas do Pará como o tacacá, o tucupi, a goma de amido e em pratos com camarão. Seu sabor é picante e ela não apresenta cheiro.

As propriedades do jambú

A planta é conhecida por apresentar as seguintes propriedades:

  • Anestésicas;
  • Purgativas (laxantes);
  • Bactericidas (que destroem as bactérias);
  • Antifúngicas;
  • Antissépticas;
  • Antivirais;
  • Diuréticas;
  • Afrodisíacos;
  • Estimulantes do sistema imunológico;
  • Vasorrelaxantes.

Para que serve? 13 benefícios do jambú 

Agora que já conhecemos o que é a planta e suas propriedades, vamos aprender sobre alguns dos benefícios da Spilanthes acmella, que é o nome científico dado ao jambú.

1. Efeito analgésico

A planta já foi utilizada na medicina graças às suas propriedades analgésicas, ou seja, de aliviar as dores.

Entretanto, embora tenha sido identificado um efeito de amenizar as dores em ratos quando a planta é aplicada na pele, não existem evidências de que a ação se repita por meio do consumo oral, e não há a confirmação de que os mesmos efeitos sejam repetidos em seres humanos.

2. Ação antioxidante e vasorrelaxante

A planta medicinal mostrou possuir um composto denominado escopoletina em sua composição, que é dotado de ação antioxidante e vasorrelaxante.

Enquanto o efeito antioxidante é importante para combater os radicais livres que são causadores de doenças como o câncer e conhecidos como promotores do envelhecimento precoce, a ação vasorrelaxante está associada à diminuição da tensão vascular.

3. Propriedades afrodisíacas

Isso significa que a planta está associada ao aumento da libido. O jambú apresentou um potente efeito afrodisíaco em ratos, sem trazer um efeito agudo, porém, por meio de uma ação que se intensifica ao longo do tempo.

4. Efeito diurético

Quando dizemos que uma substância é diurética, isso quer dizer que ela promove a eliminação de líquido do corpo através do aumento de volume da urina. Isso é útil para pessoas que sofrem com a retenção de líquido, que traz consigo o desagradável efeito de inchaço.

Entretanto, é necessário tomar cuidado para não abusar da utilização da planta, eliminar água demais e acabar sofrendo uma desidratação.

5. Aumento da testosterona

O jambú mostrou ainda aumentar o hormônio testosterona no organismo. Nos homens, a testosterona está associada a funções relacionadas ao sistema reprodutivo, à sexualidade, à densidade óssea e à massa muscular.

6. Elevação da produção de colágeno

Outros dos benefícios da Spilanthes acmella é que a erva medicinal está associada ao aumento da produção de colágeno.

O colágeno é uma proteína classificada como estrutural, que é importante para a firmeza da pele, além de ser responsável pela sustentação das células, trabalhar na cicatrização do tecido e colaborar com a integridade e o funcionamento apropriado dos ossos, segundo o que a farmacêutica da Universidade de São Paulo (USP), Vivian Zague, explicou.

Auxílio ao tratamento de condições de saúde 

Como uma planta medicinal, o jambú também é utilizado para auxiliar o tratamento de uma série de condições que afetam o organismo. Entre elas:

  1. Candidíase;
  2. Herpes;
  3. Dor de dente;
  4. Fraqueza;
  5. Problemas na pele;
  6. Tosse;
  7. Gengivite.

Leia mais http://www.mundoboaforma.com.br/13-beneficios-do-jambu-para-que-serve-propriedades-e-dicas/#J40lTvVPd4IkK1bq.99

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *