Substância da cúrcuma pode melhorar o humor e a memória

Não é fã de comida indiana? Então um novo estudo pode fazer você mudar de ideia.

É que os pesquisadores descobriram que um composto da cúrcuma -tempero que dá ao curry sua cor dourada—pode ajudar a melhorar o humor e a memória.

Tudo por conta da curcumina, um antioxidante capaz de proteger nossas células contra danos causados por radicais livres, além de possuir propriedades anti-inflamatórias.

De acordo com o novo estudo publicado no American Journal of Geriatric Psychiatry, o consumo dessa substância é capaz de proteger nosso cérebro.

Gary Small, autor do estudo, testou um composto com a substância em 40 adultos com idade entre 51 e 84 anos com leves problemas de memória por 18 meses. Eles foram divididos em dois grupos: um que tomou 90 miligramas de curcumina duas vezes ao dia, enquanto o outro recebeu placebo.

Todos os participantes foram submetidos a testes cognitivos, que foram repetidos a cada seis meses ao longo do estudo, bem como no final.

Além disso, 30 participantes, sendo 15 dos quais estavam recebendo curcumina, também foram submetidos a uma tomografia no início e no fim do estudo.

O objetivo desses exames era avaliar os níveis de beta-amilóide e tau, proteínas consideradas como uma marca registrada do Alzheimer.

A pesquisa sugeriu que um aumento nos níveis de beta-amilóide e tau podem ocorrer até 15 anos antes que os sintomas de Alzheimer apareçam, sugerindo que as proteínas podem ser um indicador precoce da doença.

Os resultados revelaram que os indivíduos que tomaram na duas vezes por dia tiveram uma melhoria de 28% es de memória ao longo do estudo, enquanto os que tomaram o placebo não apresentaram melhorias significativas na memória.

Os indivíduos que receberam curcumina também tiveram melhoras no humor, ao contrário daqueles que tomaram o placebo.

Além disso, eles também apresentaram níveis mais baixos de beta-amilóide e tau nas regiões do hipotálamo e do cérebro de amígdala, regiões que desempenham papéis fundamentais na memória e emoção.

“Estes resultados sugerem que tomar a curcumina pode proporcionar benefícios cognitivos significativos ao longo dos anos”, acredita Small.

Os efeitos colaterais relatados foram leves, de dor abdominal a outros sintomas gastrointestinais.

As descobertas foram tão significativas que Small e outros pesquisadores já estão com um novo estudo em andamento que envolverá um número maior de participantes, incluindo pessoas com depressão leve e indivíduos com risco genético para Alzheimer.

O objetivo será determinar se certos fatores como idade, gravidade dos problemas cognitivos e a presença de genes relacionados à doença– influenciam os efeitos da curcumina no humor e na memória.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *