Espiritualidade,  Uncategorized

A Mônada – A postura perante a Vida

Muita gente expressa a sua forma de estar na vida de acordo com a postura física que assume no dia-a-dia.

Vêm-se pessoas curvadas para a frente com uma postura de quem se submeteu a vida toda à vontade dos outros.

Vêm-se pessoas muito direitas e com os ombros para cima, quase a fazer um ângulo reto com o alinhamento do pescoço e da cabeça, o que revela que têm um respirar difícil e sempre contido e que tentam emergir da sua dificuldade em aspirar a vida e em seguir os seus próprios desejos e ambições.

Outras até parece que andam em pontas do pés e com o queixo para a frente, tipicamente a postura de Mussolini, o que demonstra uma certa arrogância e altivez.

Outras ainda, colocam os ombros para a frente, curvam-se e olham quase sempre para baixo e têm dificuldade em enfrentar a via, são as eternas vítimas de tudo o que lhes acontece.

Se olhares com atenção a postura mais comum de cada pessoa caracteriza os traços fundamentais da personalidade assumida, ou seja, o seu ego.

O corpo e a forma como ele se move bem como toda a energia que ele emana informa sobre a atitudes e os comportamentos mais típicos. Mas podes ir ainda mais longe se observares os pequenos movimentos musculares pois eles vão naturalmente obedecer aos padrões e formas de pensamento dominantes e por vezes até inconscientes.

Por exemplo, quando conversas com alguém e se ele cruzar os braços é porque está a fechar-se à tua comunicação e tendencialmente mostrar-se-á reativo e resistente às ideias que expressares.

À medida que fores praticando este jogo de atenção sobre os outros, não te esqueças que por mais que tentes, vais sempre colocar a tua energia nesse processo e tendencialmente vais ver imagens tuas refletidas nos outros, ainda por cima utilizando como filtros as tuas próprias crenças e condicionamentos, pelo que não deves tentar interpretar o que vês com base na mente mas antes no que fores sentindo.

Este aspeto que nos atraiçoa pode ser também treinado e minimizado, sobretudo através do auto-conhecimento, o que nos permite descontar determinadas características já conhecidas em nós, ainda que o preferível em todas as situações é mantermos a nossa postura vertical, sem nos envolvermos demasiado com os problemas dos outros, mas também sem nos tornarmo-nos indiferentes e desligados.

A melhor forma é a de permanecer observando com toda a atenção, tentando não criticar, obstar ou até julgar, mesmo que as situações sejam bem dispares dos padrões normais de comportamento e ética socialmente e comummente aceites.

Daí que a postura em todas as situações deve ser a mais vertical possível, sem no entanto se torna rígida, sempre muito bem enraizada com a energia da Mãe Terra, mas igualmente bem elevada para que possa captar a energia Cósmica do Pai do Céu.

Pronta a avançar de acordo com os momentos da nossa consciência racional, mas sobretudo intuitiva, e sempre muito flexível perante os mistérios que a vida nos vai trazendo, mas ao mesmo tempo, muito forte para poder enfrentar com coragem e firmeza toda a adversidade que possa surgir.

É a postura do guerreiro. Neste caso é a postura que deverá assumir todo o guerreiro da LUZ.

Lembrai-vos sempre que sois filhos de Deus Pai/Mãe. Por isso tendes sempre todo o apoio do potencial Divino para resolveres todas as situações que no entanto só se poderá manifestar através do AMOR Incondicional.

Com toda a Fé assumi a postura daquele que se sente sempre profundamente AMADO pois é assim que se deverão sentir em todos os momento da vossa vida.

Fiquem bem…

(A Mónada)

http://nave-azul.blogspot.com.br/

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Translate »