Uma das questões que devemos ter sempre em mente é que as essências florais não tratam diretamente um problema físico ou psíquico; portanto, não espere observar algum efeito imediato nas primeiras dosagens.

Lembre-se: florais não são remédios alopáticos. Por exemplo, se existe uma persistência ao quadro de gastrite continue tomando seu antiácido; mas acrescente uma terapia floral.

Em pouco tempo poderá ter consciência de que realmente tem de mudar sua alimentação ou até descobrir as causas psicológicas que estão levando ao problema digestivo.

Geralmente as pessoas que são atentas ao seu comportamento, ao seu cotidiano ou que já entraram no caminho do autoconhecimento terão mais chances de perceber o equilíbrio desejado do que uma pessoa que ainda necessite de muita compreensão e percepção de sua vida.

Por outro lado não se precisa acreditar nos florais para que ele funcione (!), não confunda placebo ou crença pessoal com as essências florais.

Muitas vezes tenho observado pessoas que só tomaram os florais por pura curiosidade e se recusaram a reconhecer seus efeitos radiantes, mas seus familiares e amigos mais próximos percebem a mudança positiva.

Uma questão que deve ser bem conscientizada por todos que venham a se utilizar ou que já estejam fazendo o uso dos florais é que eles não mudam, nem interferem no livre-arbítrio do indivíduo e muito menos o deixa passivo, sugestionado ou subserviente.

Cuidado ao tentar utilizar o floral como forma de manipular o “outro”, ministrar essências para determinados sentimentos que supostamente você gostaria que o outro tivesse. Não perca tempo.

Lembre-se: florais não é magia. Por exemplo, não adianta ministrar um floral (escondido) no companheiro(a) para que ele tenha mais libido (porque assim o deseja) se ele(a) tiver outros desejos.

Se um floral não corresponder às necessidades emocionais ou espirituais do indivíduo naquele momento, ele simplesmente não funcionará — este é um dos maravilhosos segredos dos florais.

No âmbito da terapia floral inexiste qualquer efeito nocivo, dissociante, negativo ou algo semelhante que afete quaisquer funções orgânicas, psíquicas ou emocionais de forma perigosa ou danosa.

Em tempo algum durante ou após o tratamento haverá sintomas que possam a vir a prejudicar o indivíduo de forma a deixá-lo num quadro irreversível; volto a enfatizar que as essências florais não são drogas com substâncias químicas que alterem o metabolismo do organismo; por isso, também não existirá problema com dosagens excessivas. A terapia floral não deve substituir os tratamentos convencionais, mas auxiliá-los.

Fonte:  Nei Naiff