aura

Os óleos essenciais são vivos e dinâmicos: ao invés de substâncias inertes, eles contêm a força de vida ativa da planta a partir da qual se originam.

As experiências com a fotografia Kirlian revelaram este princípio ativo como uma aura de luz em torno da planta – semelhante à nossa própria aura (a aura de ser o campo de energia sutil ao redor do corpo físico, também conhecido como o corpo etérico). As plantas e os seres humanos são ambos filhos de Natureza, sustentados pela mesma força de vida…

A sutil e delicada complexidade dos óleos essenciais não pode ser duplicada sinteticamente com produtos químicos inorgânicos. É por isso que os óleos essenciais afetam nossos humores e emoções e, perfumes sintéticos não.

Nossos antepassados ​​tinham um senso agudo de cheiro, muito semelhante ao de cães.

Eles sentiam o cheiro de perigo, da comida e de seus companheiros, porque suas vidas dependiam disso, e o que eles cheiravam causavam sentimentos proporcionais de medo, de fome e atração sexual.

Os seres humanos modernos perderam um pouco da consciência olfativa através da evolução da civilização, mas ainda temos um senso razoável de cheiro que pode ser desenvolvido através de treinamento.

Acalmando a mente e equilibrar o corpo:

Os óleos essenciais afetam seus sentimentos, porque eles têm uma dupla ação. Quando você sente o cheiro de um óleo essencial que você encontrar agradável, ele o encanta e acalma a mente.

Ao mesmo tempo que você sente o cheiro do óleo através da inalação, há uma ação fisiológica em seu corpo, independente do sentido do olfato.

Isso demonstra a importância da utilização de óleos essenciais que você considera agradáveis; se você não gosta do aroma de um óleo, apesar de sua ação física potencialmente benéfico sobre o seu corpo, o efeito global será menor.

A ação de óleos essenciais sobre a mente e sentimentos é complexo e sutil…

Os óleos tendem a equilibrar e normalizar o corpo, em vez de apenas estimular ou sedar, e não há uma ação similar sobre os sentimentos.

Os óleos essenciais têm uma afinidade complementar com certas partes do corpo, mente e emoções.

Por exemplo, uma pessoa com um “coração duro”, que tende a ser dura e dizer, muitas vezes desenvolve problemas cardíacos tais como o endurecimento das artérias.

Tratar esta pessoa com rosa tem uma ação tônica sobre o coração físico, enquanto suaviza as emoções e simultaneamente elevar a mente.

Texto: Farrer-Halls, Gill – The aromatherapy bible – Sterniling – 2005 – pág. 92-93

Foto: http://www.teneyi.net/cici/digital/10/pict0021.jpg

Tradução livre: Emilia Kiyohara