Fitoterapia,  Plantas e Flores,  Uncategorized

Companheiras e antagônicas: saiba como combinar as plantas

plantas-companheiras.-Fonte-Vale-da-Lama

No manejo ecológico, o cultivo de nenhuma planta é pensado isoladamente, mas em um contexto abrangente que visa atingir o equilíbrio. Quanto maior esse equilíbrio – a harmonia entre o solo, as plantas e os animais -, menos intervenção externa é necessária, o que aproxima a agricultura orgânica do ideal: um agroecossistema capaz de auto-regulagem. Nesse sistema macro, que parece utópico mas é comprovadamente eficiente, é fundamental que o agricultor conheça as plantas companheiras e as plantas antagônicas.

Sejam de espécies os famílias diferentes, as plantas companheiras são chamadas assim por se ajudarem mutuamente, e os benefícios dessas combinações são parte de um conhecimento milenar. Ao serem plantadas no mesmo espaço, auxiliam-se na ocupação do solo e na utilização da água, luz e nutrientes.

Além disso, pelo sereno, a água da chuva, a raiz ou pela decomposição de suas partes, plantas liberam substâncias químicas (metabólitos secundários) no meio ambiente, influenciando as outras plantas ao redor em um processo chamado de alelopatia.

Se nas plantas companheiras o resultado da alelopatia é bem-vindo, com as plantas antagônicas a interação, em geral, é inibitória. Duas plantas podem ser antagônicas se as substâncias químicas que uma libera prejudicam a outra ou quando competem por nutrientes, luz e água.

Um exemplo: pepino e girassol precisam de boro em abundância. Quando estão juntas, acabam competindo e uma acaba prejudicando a outra. Com base na alopatia são criados diversos inseticidas naturais utilizados na agricultura orgânica.

No fim do texto, eis a lista completa de quais plantas convivem bem umas com as outras em uma horta.

Ervas aromáticas

louro e alecrim rasteiro

Louro e alecrim rasteiro. Fonte: Viveiro orgânico de ervas e temperos Sabor de Fazenda

Na lavoura, elas são de grande utilidade, já que afugentam insetos e pragas. O aroma faz com espécies como hortelã atraiam insetos polarizadores e predadores que combatem essas pragas de forma natural. Como são as mais cultivadas em apartamento ou pequenas hortas (aqui e aqui já demos dicas para fazer a sua), vale a pena sabermos quais ervas combinam e quais se atrapalham.

– Tomilho, sálvia e alecrim ✓

– Alecrim rasteiro e louro ✓

– Orégano e Manjerona ✓

Se plantadas no mesmo vaso, jardineira e canteiro, a combinação funciona. As que não funcionam bem com outras plantas e que preferem ser plantadas individualmente:

– Mentas ✖

Pimentas

– Salsinha ✖

Os repelentes naturais

tagete. Fonte- WikipediaTagete. Fonte: Wikipedia

Plantas como tagete (o cravo-de-defunto) podem ser plantadas em canteiros ou vasos juntamente com outras plantas, já que combatem os nematóides do solo e repelem insetos. Elas também são usadas de forma profissional na lavoura, comorepelentes naturais. Veja exemplos:

Cinamomo:
Árvore ornamental comum no sul do Brasil, mas de origem asiática, tem no chá das folhas ou no extrato dos frutos ótimos inseticidas. Os frutos moídos também podem ser usados na conservação de grãos armazenados. Fórmula: tanto o chá quanto as frutas devem ter a dosagem média de 200 gramas para um volume final de 20 litros pulverizáveis.

Cravo-de-defunto e Cravorana:
Podem ser usadas diretamente no solo como eficientes repelentes, em especial na época do florescimento. Pulverizadas em soluções alcoólicas, funcionam incisivamente contra as pragas, seja por ação direta ou pelo odor. Fórmula: 200 gramas da planta verde macerados por 12h em 1 litro de álcool e diluídos em 18 a 19 litros de água.

Saboneteira:
Utilizada como árvore ornamental, essa espécie nativa da América Tropical tem frutos com efeito inseticida extremamente potente. Para uso imediato, podem ser usados amassados em água. Para conserva, o ideal é uma solução alcoólica. Fórmula: 200 gramas para um volume final de 20 litros de pulverização.

Mucuna-preta:
Utilizada em plantações de milho para evitar os gorgulhos nas espigas (que reduz em aproximadamente 90%).

Quássia (pau-amargo):
Por suas substâncias amargas na madeira e na casca, afasta moscas e mosquitos. Fórmula: faz-se 200 gramas de pó das partes amargas ou extrato acetônico-alcóolico dos ramos e folhas.

Para combinar: lista de companheiras e antagônicas

– Abóbora
Plantas companheiras: milho, feijão-vagem, acelga, alface, chicória, amendoim, qualquer espécie e cultivar de abóbora.
Plantas antagônicas: batata- inglesa.

– Alface
Plantas companheiras: cenouras, rabanete, morango, pepino, beterraba, rúcula, abobrinha, cebolinha.
Plantas antagônicas: salsa, girassol.

– Alho
Plantas companheiras: alface, beterraba, couve, morango e tomate.
Plantas antagônicas: ervilha e o feijão.

– Amendoim
Planta companheira: abóbora.

– Batata-inglesa
Plantas companheiras: feijões, milho, repolho, ervilhas.
Plantas antagônicas: abóbora, pepino, girassol, tomate, framboesa, maçã.

– Berinjela
Plantas companheiras: feijão, feijão-vagem.

Beterraba:
Plantas companheiras: couve, alface, nabo, vagem, cebola.
Plantas antagônicas: feijão, feijão-vagem.

– Cebola
Plantas companheiras: beterraba, morango, tomate, couve, camomila, alface.
Plantas antagônicas: feijão.

– Cebolinha
Plantas companheiras: cenoura, alface, rúcula, radicci.
Plantas antagônicas: ervilha, feijão.

– Cenoura
Plantas companheiras: ervilha, alface, manjerona, feijões, rabanete, tomate, sálvia, alecrim.
Plantas antagônicas: coentro e outras umbelíferas.

– Couve (Brassica oleracea)
Plantas companheiras: cebola, batata, beterraba, camomila, hortelã, endro, sálvia, alecrim, tomilho.
Plantas antagônicas: framboesa, tomate, feijão-vagem.

– Ervilha
Plantas companheiras: cenouras, nabo, rabanete, pepino, milho, feijões, abóbora, couve-rábano, milho-doce.
Plantas antagônicas: cebola, alho, cebolinha.

– Espinafre
Plantas companheiras: morango, feijões, ervilha, beterraba, couve-flor, couve.

– Feijão-vagem
Plantas companheiras: milho, batata-inglesa, cenoura, pepino, nabo, couve-flor, repolho, couve, ervas aromáticas como alecrim, segurelha, tomilho.
Plantas antagônicas: alho-poró, funcho, salsa, cebola, salsão.

– Girassol
Plantas companheiras: pepino, feijão, ervilha, fava.
Plantas antagônicas: batata-inglesa

– Milho
Plantas companheiras: batata-inglesa, ervilha, feijões, pepino, abóbora, moranga, abobrinha, melão, melancia, trigo, rúcula, nabo, rabanete, quiabo, maxixe, mostarda, serralha, girassol, beldroega.
Plantas antagônicas: repolho, couve, funcho.

– Morango
Plantas companheiras: espinafre, alface, tomate, cebola.
Plantas antagônicas: repolho, couve, funcho, salsa.

– Repolho
Plantas companheiras: ervas aromáticas, batata, salsão, beterraba, alface.
Plantas antagônicas: morango, tomate, vagem, manjerona

– Rúcula
Plantas companheiras: chicória, vagem, couve-rábano, milho, alface.
Plantas antagônicas: salsa

– Salsa
Plantas companheiras: tomate, aspargo.
Plantas antagônicas: alface, rúcula.

– Tomate
Plantas companheiras: cebola, cebolinha, salsa, cenoura, calêndula, serralha, erva-cidreira. Além das ervas malmequer, menta, nastúrcio, urtiga, manjericão, borrabem, cravo-de-defunto.
Plantas antagônicas: couve-rábano, batata, funcho, repolho, pepino, feijão.

Fontes: Planeta Orgânico, Meio Ambiente Jardim, Escola na Horta, Viveiro Sabor de Fazenda, Faz Fácil, Soil Mates.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Translate »