Espiritualidade,  Uncategorized

Mensagem Cósmica para 2014

Hoje os céus refletem a presença de questões significativas ao longo do ano que se inicia: tanto de desafios quanto de paz, de segurança e de risco, de estagnação e de movimento – forças aparentemente contraditórias, presentes no mesmo momento, exercendo igual pressão na trama de nossas vidas.

Hoje, uma Grande Cruz, que conecta alguns dos poderes mais formidáveis do cosmos – Plutão, Marte, Urano, o Sol Negro e a Lua Negra Lilith – nos lembra que influências cármicas percorrem intensa e profundamente as nossas vidas, e são justamente essas influências que precisarão ser abordadas no ano que entra.

Caso tenhamos deixado algumas dessas questões de lado, seremos cada vez menos capazes de enfrentá-las à medida que o ano for progredindo.

Esta mensagem não é uma sentença condenatória do cosmos, que nos levaria a um destino difícil, mas um chamado de despertar, lembrando-nos que questões não resolvidas não vão embora, e conforme as ondas de energia purificadora inundarem este planeta nos próximos meses, o que estiver escondido será revelado e redespertado, não para nos atormentar, mas para que o assumamos, o enfrentemos e nos reconciliemos com quem somos e com a direção para a qual estamos nos dirigindo.

A Astrologia nos ensina que nada acontece na vida de alguém que não seja característico dessa pessoa, de alguma forma. É impossível que a vida seja de outra maneira. Somos seres energéticos que vivem num universo energético. Nós atraímos e repelimos de acordo com nossa própria vibração pessoal que se expressa por todo o nosso ser em todos os níveis: físico, emocional, mental e espiritual.

A vida que experimentamos é uma interação complexa entre a nossa energia e a do nosso ambiente, das pessoas que fazem parte dele e das forças que agem sobre ele. Muitas vezes entramos em contato com essas forças através de coisas que “acontecem” conosco pelas mãos de outras pessoas, ou do clima, da economia (!)… No entanto dentro de cada uma dessas ocorrências, está a nossa própria contribuição vibracional, condensada através de éons de acúmulo energético nesta pessoa que somos hoje.

Ao longo deste ano, os produtos dessa acumulação energética, na forma de ego-identidade (aspectos de nós mesmos e de nossas vidas nos quais investimos nossa energia) e nossas ligações cármicas com outras pessoas e circunstâncias, serão trazidos à nossa atenção como nunca antes.

Se estiverem nos impedindo de nos comprometermos plenamente com o crescimento da conscientização neste planeta, teremos a oportunidade de enfrentá-los totalmente, assumi-los e curar os fragmentos deles que influenciam nossas vidas.

Pois enquanto negarmos aspectos do nosso ser, fingindo que certas coisas não existem ou não aconteceram, estaremos para sempre separados do estado de plenitude que nos permite estar totalmente presentes para a vida tal como ela é, e responsáveis em relação às necessidades dela.

É lógico que evitamos e negamos certas coisas por uma razão: elas machucam e por isso não queremos nos encontrar com elas. Elas desafiam a imagem que temos de nós mesmos; elas nos mostram um desconhecido assustador, que optamos por evitar.

Mas, aos “olhos” do Divino, da Fonte de Tudo O Que Existe, não há nenhuma razão suficientemente boa para justificar a fragmentação e falta de consciência que resulta de tal escolha.

Agimos inconscientemente durante tempo demais neste planeta, e vejam onde isso nos trouxe! Este é o momento de despertar, assumir e “sentir o cheiro do café cósmico”. Não é suficiente mudarmos pequenas coisas de nossas vidas que temos interesse em mudar. Devemos estar preparados para mudar onde e quando formos chamados para isso… e mudar de forma tão radical que, algumas vezes, depois de termos passado por tal mudança, nossa vida anterior seja apenas uma vaga lembrança.

Mas, em meio a essa exortação planetária para fazermos o impensável, Netuno em trígono com o Nodo Norte nos transmite a mensagem mais importante de todas: aquilo que nós verdadeiramente somos nunca pode ser ferido, nunca pode ser diminuído.

Embora passar pelo fogo possa doer, não é o nosso espírito que queima, mas apenas as partes nossas que o obscurecem. Somos formados de energia, a mesma energia que está viva por todo o cosmos e mais além.

Ela não pode ser destruída e nós também não, no nível da Fonte. Só podemos perder aquelas partes que nunca foram realmente nós, e cada vez que isso acontece, mais daquilo que verdadeiramente somos é revelado.

Este é o caminho da alquimia mais profunda, a maior transformação possível. Estamos passando por ela juntos em 2014. E como companheiros na jornada do despertar radical, talvez tenhamos que lembrar uns aos outros que o Divino se movimenta sempre para proteger o nosso espírito, não o nosso ego.

Ele busca o nosso retorno à unidade e age para que isso aconteça. Talvez soframos e lutemos durante esse processo, mas, ainda assim, o que nós verdadeiramente somos estará seguro e inteiro, e quanto mais profundamente soubermos que isto é um fato, maior será a facilidade com que poderemos trilhar o caminho à nossa frente.

Sarah Varcas

Tradução de Vera Corrêa veracorrea46@ig.com.br

http://www.astro-awakenings.co.uk/.

Publicado por: Hugo Lechuga Arteiro
http://astro-awakenings.co.uk/blog
 

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Translate »