Espiritualidade,  Uncategorized

O sistema estelar de Sírius e os antigos registros de Órion – Parte 2

Quem são os Sirianos

Os Sirianos trabalham desde o plano da 3ª a 6ª dimensão de consciência, representado por mais de 20 grupos distintos provenientes da constelação do Cão Menor, onde está localizado Sírius; são compostos não apenas por humanos, mas também por outras formas de vida que não têm correlação com as encontradas na Terra, e outras ligadas à energia dos cetáceos, onde fazem um resgate direto das formas de vida animal e vegetal do planeta.

Possuem grandes centros  e fazem a correlação dos registros quânticos dessas formas de vida a serem também inseridas no resgate atual e no resgate temporal das espécies extintas na Terra.

Alguns grupos de Sírianos fazem contato via canalização com humanos na tentativa de ajudar no despertar de consciência e  eles não viajam no universo como nós na Terra compreendemos, pois  viajam no tempo de um lugar para outro por condução do pensamento.

A Hierarquia de Sírius consiste de uma federação multidimensional de diversas civilizações dentro do sistema de Sírius.

A história do passado da Terra é tão especial, que outras civilizações galácticas além dos Sirianos, têm influência sobre as questões da Terra.

Uma outra maneira pela qual os Sirianos aparecem na forma física aqui são como “sementes estelares” humanas, aqueles que passaram a maior parte de suas vidas em um corpo Siriano, mas escolheram encarnar como um humano da Terra para um propósito específico, ou através de nascimento ou como “entrantes”.

Há também os que vem como emissários, que escolheram passar a maior parte de suas vidas neste ciclo, como humanos terrestres, e a maioria deles estão ou estiveram no processo de serem “despertados” por seus guias de Sírius em outras dimensões.

Estes guias estão trabalhando com os Corpos de Luz dos seres físicos, bem como com seus corpos físicos, mentais e emocionais, para prepará-los para vir para a consciência total.Também, os Sirianos, assim como os cetáceos, tem enormes capacidades telepáticas e psíquicas.

A comunicação telepática é concentrada através do quarto chakra, o cardíaco, mais do que com o quinto e o sexto chakras. Isto faz com que a comunicação seja muito mais amorosa que apenas palavras ou pensamentos.

Os Sirianos também ajudaram geneticamente a co-criar as formas golfinho/baleia, e esta é uma razão pela qual muitos espíritos Sirianos são tão atraídos aos que estão encarnados na Terra como Cetáceos.

A atuação do povo de Sírius em nosso Planeta

Os professores e mestres de Sírius, por intermédio das Escolas Sagradas da Atlântida e do Egito, transmitiram à Terra a compreensão da natureza das técnicas da criação, utilizadas pelo Elohim e os Arcanjos, bem como o projeto e função do Corpo de Luz Angélico Humano e sua relação com o Tempo e Espaço dentro de diferentes estruturas dimensionais.

Nesta parceria mais recente, os Mestres Sirianos ajudaram a transmitir para as Grades Diamante da Nova Terra, os Códigos de Luz para a primeira e grande atualização do Corpo de Luz Diamante.

Esta atualização destina-se a regular o Corpo de Luz á sua nova função como um Veículo de Luz Multidimensional. Ondas de luz intensas estão sendo transmitidas a partir de Sírius, e estas carregam os padrões de ondas e frequências das novas calibrações do Corpo de Luz.

O Olho de Hórus um símbolo de Sírius

Esta é uma imagem do “Olho de Horus” de Sírius, símbolo que foi ensinado aos iniciados nas antigas Escolas Egípcias de Mistérios, pelos Mestres de Sírius.

A imagem mostra como a Glândula Pineal no cérebro humano foi o local principal para a Criação e Manifestação, que era o significado e propósito do símbolo do “Olho de Horus”.

Assim, quando o olho de Horus ou a Glândula Pineal é fortemente ativada pelas transmissões de Luz, a partir do sistema da Estrela de Sírius, significa que uma energia poderosa de Criação e Manifestação está em curso.

Os Conselhos da Terra estão recebendo Novos Modelos para Formas Superiores de Vida e de Consciência na Terra.Aqueles que não estão recebendo as transmissões(os que ainda não despertaram) irão continuar com suas vidas no âmbito da realidade que conhecem, até que estejam prontos para se graduarem para a estrutura Multidimensional que está sendo realizada agora.

A raça de Órion – Os Reptilianos ari-an (arianos?)

Uma das mais antigas Raças das Estrelas neste setor do Universo é a reptiliana Ari­An, a qual descende dos ancestrais dinossauros no sistema de estrelas da Constelação de Órion.

Governados por rainhas, criaram o mais poderoso império da galáxia. Os guerreiros Ari­An eram inigualáveis em ferocidade e bravura, e o Império Ari­An de ÓRION insuperável em poder, conquista e tamanho.

A Constelação de ÓRION (O Caçador), com seu cinturão de três estrelas centrais, popularmente conhecidas no Brasil como as Três Marias, e que são Mintaka, Alnilan e Alnitak.

As quatro estrelas externas são Betelgeuse (Cor Laranja, em sentido anti­horário), Saiph, Rigel (Azul grande) e Belatrix.

Este conjunto de três estrelas é popularmente chamado pelos brasileiros de as “Três Marias” e nada mais é que o centro da constelação – representa o cinturão do gigante (vide figura acima). Sabendo encontrá-las, encontra-se a constelação completa facilmente.

Veja o mapa a seguir:

Ele representa a porção leste do céu logo após o crepúsculo.

A constelação de Órion está destacada na figura – perceba como é fácil identificar o padrão após encontrarmos as Três Marias. Elas estão envolvidas por um trapézio formado por quatro estrelas de primeira magnitude: Alfa de Órion (Betelgeuse), de coloração mais avermelhada, representa o ombro direito de Órion, temos em seguida Gama de Órion (Bellatrix) como o ombro esquerdo, Kapa de Órion (Saiph) é o joelho. A última estrela do trapézio é justamente a que está oposta a Betelgeuse – Beta de Órion (Rigel), uma estrela que também se destaca, representando o pé direito de Órion.

A Constelação de Órion, um mundo de proporções bem maiores que a Terra, próximo ao tamanho de Saturno, com cerca de 107 456 quilômetros de diâmetro equatorial e 98 500 quilômetros de diâmetro polar, um mundo com natureza variável onde, além das selvas e savanas semiáridas, existiam grandes desertos de rochas e cadeias montanhosas com mais de 24 mil metros de altura, rico em oxigênio, com taxas de cerca 37 por cento de oxigênio, contra nossa taxa aproximada de 21 por cento do mesmo composto.

As formas de vida desenvolvidas na constelação de Órion eram, em grande parte, Draconianas e de Insetos com grande capacidade de adaptação ambiental, possuindo genes do arquétipo Adâmico(Adam Kadmon) que tinham sido inseridas pelos governantes e seus colaboradores há milhares de anos antes, ainda nos planos sutis.

Esse sistema Estelar ou Solar era um importante ponto estratégico, pois ele situa-se numa relação geométrica de vista para as profundezas da nossa Via Láctea;

Esse corredor dá acesso a outras constelações e mundos com grande potencial mineral e energético, que também foram colonizados e multiplicadores de diversas formas de vida, o qual permitiam um acesso direto ao aglomerado de Aldebaran e às Híades, bem como a passagem para as Plêiades.

Portanto, a posição do Sistema Solar de Órion era um ponto de vital importância para os interesses dos governantes e seus colaboradores, pois com o poder sobre esse sistema, seria possível desenvolver a dissipação do vírus do poder e da corrupção através de seus enviados encarnados, que mantinham a consciência do jogo político que estava sendo implantado nesse setor.

Um fator que pode parecer superficial, mas é de vital importância para o expansionismo dessa civilização, era a sua pequena distância de Alnitak de 25 anos-luz, que equivale à distância da Terra de Vega, permitindo assim um forte raio de ação das formas-pensamento que cada alma gerava no seu processo criativo.

A cristalização material dentro da 3.ª dimensão física desse mundo, iniciou-se há cerca de 645 milhões de anos, em paralelo com manifestações também materiais da Terra.

A parcela do código genético e genes da estrutura adâmica, permitiu que parte dos Draconianos desse mundo sustentasse na sua estrutura fisiológica uma semelhança com os humanoides que eram os primeiros protótipos da forma Draco que viria a ser obtida em Vega pouco depois.

Essa raça manifestava capacidades bem mais refinadas de percepção extra-sensorial em relação aos outros Draconianos, pois as outras formas de vida draconianas que desenvolviam a percepção consciencial individual eram mais robustas e animalescas devido ao seu elevado poder de adaptação para a sobrevivência em diferentes situações ambientais.

Assim, esses Dracos, que denominaremos de Alfa Dracos, tinham uma capacidade cerebral e racional bem mais desenvolvida e penetrante que seus irmãos e parentes planetários e por essa razão passaram, ao longo de poucos anos de reprodução, a estruturar a sua civilização para liderar e conquistar uma forte aliança com seus irmãos, não dividindo forças, como já tinha ocorrido em outros setores do planeta, com outras divisões raciais que lutavam entre si.

Todas essas formas de vida possuíam inteligência e viviam em comunidade, dado serem o resultado criativo das antigas civilizações de outras eras, que já tinham ascensionado para patamares mais sutis, sendo portanto o resultado genético conseguido .

A raça Alfa Draco conseguiu unificar todas as divergências raciais e intelectuais criando uma civilização em castas e, gradualmente, em socialismo, onde cada qual participava de forma aberta para a comunidade, fazendo assim com que a unificação/ consciência se tornasse cada vez mais coesa.

Dentro das sete manifestações raciais principais da constelação de Órion existia a Cenak, que possuía poderes de projecção mental e materialização de objetos do plano astral, que eram usados para ajudar na formatação da tecnologia que os Alfa Dracos estavam plasmando através da sua intuição.

Com isso os Cenak e os Alfa Dracos detinham um poder e penetração consciencial muito profunda no restante da civilização.

Essa união ajudou a sedimentar uma poderosa tecnologia em que a ciência computacional e psíquica foi sendo composta de forma a gerar uma tecnologia inédita nesse quadrante que lhes permitia, através de psicometria cerebral, vasculhar os outros planetas e verificar o tipo estrutural dos astros mais distantes como se fossem projeções mentais via satélite.

Esse método é ainda usado na atualidade pelos projetores consciência do Governo Secreto da Terra (Elite /Cabala), que estão ligados a ramificações desse grupo.

Gradualmente, os habitantes de Órion desenvolveram sua tecnologia de navegação sideral, a qual lhes permitiu visitar os planetas vizinhos e lá construírem bases avançadas para a colonização lenta mas consistente desses outros mundos.

Como nem todos tinham as condições ambientais necessárias à sobrevivência das sete raças do planeta Órion, foram construídos grandes complexos na superfície, e posteriormente no subsolo, para validar o processo de colonização.

Foram também criados grupos de trabalho e comunicação com as formas de vida existentes em cada mundo para as estudar e enraizar laços de amizade e colaboração mútua.

Nesse processo eles encontraram cerca de 630 formas de vida com capacidade intelectual e desenvolvimento que merecia ser explorada para a formação de uma nova linha existencial de comunicação social, onde essas formas de vida foram sendo treinadas e estudadas para que pudessem desenvolver-se junto das raças dominantes de Órion.

Nesse papel, a raça Cenak foi a que melhor pôde ajudar no projeto, pois com suas capacidades psíquicas ajudou a desenvolver uma comunicação e troca de favores, evitando assim as guerrilhas e mal-entendidos.

Os Sauranos

Como o nome indica, Sauranos são as raças ligadas ao arquétipo dos Sáurios, que envolvem diversos tipos de seres e que constituem parte do arquétipo dos Draconianos, visto que este último é muito amplo, envolvendo cerca de 700 espécies, as quais tiveram a sua origem primordial na estrutura de Répteis e Dinossauros.Segundo alguns registros akáshicos secretos, os Grays possuem na sua estrutura genética, derivada de Vega, uma percentagem de genética saurina, portanto ligados sutilmente ao que normalmente é denominado como Draconiano pelos nossos canais na Terra.

Na realidade, existe uma grande confusão em relação ao termo ou denominação Draconiano, pois as pessoas discriminam-nos como sendo grandes e perversos répteis, o que não é verídico.

Tal como a nossa raça humana, nas suas diferenças, engloba pessoas ligadas à luz ou às trevas e não generalizamos por esse fato, também neste caso, sendo os Draconianos uma forma racial com cerca de 700 derivações, muitas delas são de poderosos seres de amor e de Mestres.

A energia genérica dos Draconianos está presente no arquétipo da constelação de Zeta Reticulum(Greys) onde se situa o centro de operações de colonização e invasão dos Grays.

Em Sírius também existem diversos mundos onde o arquétipo de Sáurios, e portanto Draconianos, está manifestado, assim como muitos insetóides, que poderiam ser diferenciados entre uma das linhagens derivadas dos antigos Draconianos de há alguns bilhões de anos em nosso passado estelar, época em que essas ramificações foram condicionadas através de seleção natural e manipulação genética, de acordo com as necessidades de cada planeta.

A espécie Draconiana e suas 700 derivações estão presentes em milhares de pontos da nossa galáxia, portanto, são uma raça primordial devido às suas características de sobrevivência em ambientes extremos e, tal como muitas formas humanas geneticamente desenvolvidas, possuem capacidades superiores.

Anu fala sobre o futuro da Terra

“Há muitos seres de Nibiru e de outros planetas e galáxias a bordo desta nave-mãe pleiadiana, estacionada em sua órbita em um plano dimensional superior, que estão ativamente envolvidos na concretização do Plano Divino para a Terra e seu povo.

Há muitos outros extraterrestres, pais de sementes estelares na Terra e também os representantes de pais de raças de estrelas sementes, caminhando a bordo da nave para dar assistência às suas crianças encarnadas na Terra.

É muito excitante trabalhar com vocês através do nosso povo na Terra. Eles são conhecidos como Emissários da Federação Galáctica do Conselho Nibiruano e também como Avyonianos.

Há muitos destes emissários encarnados entre vocês, que estão disseminando assuntos a respeito de seu parentesco e as boas novas sobre a assistência que nós trazemos no encerramento do tempo do drama final de vocês na realidade tridimensional.

Logo vocês terminarão este grande drama que estão vivendo e se moverão para a realidade pentadimensional (5ª D) e se juntarão à maioria de nós que vive na 5ª e em dimensões mais elevadas. Nibiru é quadridimensional neste momento”.

“Nós, na nave-mãe pleiadiana, estamos na 6D. Eu dirijo a 6ª região dimensional do Conselho Nibiruano da Federação Galáctica.

Nossa tarefa principal neste momento é ajudar o homem em um processo que nós chamamos de “Recodificação e Reconexão do DNA”, entretanto nós também estamos trabalhando para transmitir a vocês a história de seu universo e planeta. Também trabalhamos com o ministério Crístico da Hierarquia Espiritual da Terra.

O Conselho Nibiruano é muito amplo e possui vários níveis, e dá assistência à Terra e a outros planetas em nosso sistema solar, pois trabalhamos com seres de muitas galáxias e sistemas estelares.

Neste momento presente nós estamos concentrados em uma aliança com nossa raça conselheira, os Felinos, de Sírius A, e com os Crísticos Sirianos – a chamada Aliança Síriano/Pleiadiana. Juntos, nós estamos trabalhando na recodificação do DNA de vocês. Nós também estamos transmitindo informações sobre a história, bem como sobre a paternidade de vocês.

Os Felinos( o povo do Leão) proveem ajuda, removendo os implantes de DNA de seus corpos astrais e fundindo as doze fitas de DNA em seus corpos astrais – no seu sistema endócrino.

Os Sirianos Crísticos proveem assistência nos ajudando a alcançar aqueles na Terra que estão prontos para abraçar o processo de recodificação do DNA. Eles trabalham com os guias desses indivíduos e os encorajam a desbloquear e limpar seus corpos, como uma preparação para o processo”.

Anu revela o sistema de funcionamento do universo á nível espiritual

“Eu começarei esta história com uma breve avaliação de como o universo é organizado e administrado.

Nosso universo é composto de muitas galáxias, estrelas e planetas e as Hierarquias Espirituais vigiam tudo isto. Há muitas hierarquias diferentes.

A Hierarquia Universal é como o “Conselho de Diretores” de uma grande corporação.

As outras Hierarquias vigiam diferentes galáxias, as constelações e sistemas estelares, e, além disso, existem as Hierarquias que vigiam os planetas individuais e estrelas.

Estas são as Hierarquias Planetárias. Todas as Hierarquias são compostas de almas que escolheram servir nos reinos angelicais. Sananda, embora não seja do reino angélico, está encarregado da Hierarquia Espiritual planetária de vocês, já que ele é o mais importante dos Sirianos Etéricos, os herdeiros da Terra.

Um outro tipo de Hierarquia assessora o Plano Divino de diferentes grupos de almas. Todas as almas são fragmentos do Divino Criador, ou como muitos de vocês dizem, Deus.

Os anjos aprendem e evoluem exatamente como o restante de nós, eles apenas o fazem de um modo diferente.

Os anjos evoluem servindo e auxiliando os encarnados, como membros das Hierarquias espirituais.

Os encarnados evoluem aprendendo a servir uns aos outros. Assim, em essência, todas as almas evoluem através do serviço mútuo. Serviço é sinônimo de Amor Incondicional e Amor Incondicional mútuo é o que todos nós nos esforçamos para alcançar.

As almas são divididas em grupos, de acordo com a preferência que elas têm pela evolução e pelo seu nível de evolução (semelhança com a doutrina espírita?-nota pessoal).

O agrupamento dos encarnados torna mais fácil a administração dos Planos Divinos. As almas se movem para dentro e para fora dos grupos conforme elas evoluem. Algumas almas evoluem mais rapidamente que outras.

Os Agrupamentos de almas são agrupamentos dentro de grupos de almas maiores.

Uma vez a lição aprendida, as almas passam para outros grupos para aprender outras lições.

Mentores são colocados para cada grupo de almas para ajudá-las durante suas encarnações e após, quando elas voltam ao Espírito.”

Os grupos de alma da terra

“Neste momento há um imenso grupo de almas usando a Terra – os Sirianos Terrestres. Este particular grupo de almas é um grupo para o qual o corpo físico com duas fitas de DNA foi criado.

Todas as almas na Terra usam os veículos de DNA de duas fitas, sem se darem conta da sua verdadeira origem planetária.

Na Terra há também muitos outros grupos de almas menores. As Sementes Estelares e os Walk-ins constituem alguns destes grupos menores.

Agora olhemos o Grande Plano Divino; nosso universo é uma parte do Divino Criador. O Divino Criador, a quem eu me referirei apenas como

Ele por uma questão de simplicidade, estava em um estado de primazia absoluta e perfeição, e, COMO ELE ESTÁ SEMPRE EM EXPANSÃO, o Divino Criador decidiu que Ele desejava experimentar mais de Si mesmo. Para fazer isto,

Ele teve que fragmentar a Si mesmo em muitos pedaços, e Ele fez justamente isto. Ele se fragmentou em milhares de pequenos Divinos Criadores.

Cada um era uma cópia em papel-carbono d’Ele, e Ele os chamou de Primeiras Almas-fonte.

Cada uma tinha a habilidade de criar, manifestar, entender e sentir emoções de todo tipo. Em essência, elas eram Deuses como Ele.

Por isto é que falamos que vocês são Deuses encarnados, da mesma forma que nós somos Deuses encarnados. Cada um de vocês é um fragmento do Divino Criador, como eu e todos os outros.

Cada um de nós é igual a Ele, desde que temos os mesmos poderes de entender, criar, etc. É o que nós fazemos com nosso poder e é “como” nós o sentimos que provoca os sentimentos de desigualdade. Estas Primeiras Almas-fonte foram divididas em duas linhas de evolução: Angélica e Encarnada.

As almas encarnadas têm doze dimensões através das quais evoluir e as almas angélicas têm sete reinos para seu processo evolutivo.

Os anjos e os encarnados não podem evoluir um sem o outro, o que significa que eles tem que trabalhar juntos para a evolução de todos.

Para evoluir, as almas precisam experimentar algo que crie desenvolvimento.”

Conclusão

Verifica-se então que as nossas limitações raciais e culturais impedem que possamos realmente compreender na íntegra a grande salada racial e diferenças políticas entre muitas dessas delegações aqui presentes na Terra, que alegam seu direito de posse sobre ela e isso porque o nosso planeta já foi berço de diversas raças, incluindo as Draconianas e Saurianas, tal como nossos registros arqueológicos demonstram na época dos dinossauros.

Tal como cada país da Terra possui a sua política e jogo de interesses, também essas delegações e grupos possuem seus interesses particulares e opiniões para além dos planos sobre o que fazer e como fazer na Terra, em que a raça humana em muitos aspectos é o ponto problemático da questão.

E porque é assim?

Porque ainda precisamos retirar todos os escombros que nos acompanham, destas muitas guerras, conquistas, tomadas de poder, recombinações genéticas á qual fomos submetidos.

Mas, por outro lado, temos já suficiente informação para tomar as rédeas e o controle, á partir das escolhas mais simples, as mais fáceis, já que esse controle passa pelos nossos 5 sentidos básicos e um ainda extra-sensorial na infância de suas potencialidades.

Não conseguiremos realmente colocar em prática o plano evolutivo que nos foi designado e que é nossa herança galáctica, assistida pelos seres de luz de Orbes espiritualizados, se não começarmos a retirar esses escombros, fazendo as escolhas corretas, usando nosso livre-arbítrio, lei universal que não pode ser quebrada, porque assim é a LEI para este universo.

Existe uma vela acesa embaixo destes escombros….é a nossa centelha divina.

Mas, sem nos livrar-mos deles, a nossa chama divina não brilhará para ninguém, muito menos para nós mesmos.

Nós , da “Luz é Invencível” disponibilizamos informações baseadas em pesquisas , as quais são citadas na nossa bibliografia, de pesquisadores, antropólogos, ufólogos,egiptólogos e astrofísicos.

Portanto, cabe á cada um, discernir por si mesmo, o que lhe soa melhor, ou mais verdadeiro….ou não.

Não estamos aqui tentando impor quaisquer doutrinas/conceitos/histórias/verdades irrefutáveis. Estamos somente tentando abrir o leque de opções, fazendo com que todos parem para pensar e analisar outras possibilidades.

A história da Terra é antiquíssima, tem de ser reescrita e nós fazemos parte desta missão, de reescrever a nossa história, deixando outro tipo de legado aos nossos descendentes, afim de que eles não passem pelo que nós passamos e ainda estamos passando.

Um outro legado mais realista, mais baseado em CONHECIMENTO e não em CRENÇA LIMITADORA/MANIPULADORA é a nossa maior missão;é isso que temos de deixar  como herança para as futuras gerações.

Bibliografia para consulta

O Mistério de Sírius – Robert Temple

Sacred Symbols of the Dogons – Laid Scranton

La História  Secreta de los Reptilianos – Scott Alan Roberts

O livro perdido de Enki – Zecharia Sitchin

Os Filhos de Òrion – Maria Sílvia P. Orlovas

Os Exilados de Capela – Edgard Armond

Terra-Chaves Pleiadianas para a biblioteca viva e Mensageiros do Amanhecer – Bárbara Marciniack

Catastrophobia e A Agenda Pleiadiana – Bárbara Hand Clow

A Profecia de Òrion – Patrick Geryl

Through Alien Eyes – Wesley Bateman

Conversando com os Reptilianos – Chico Penteado

O Prisma de Lyra – Lyssa Royal e Keith Priest

Fonte: A Luz é Invencível

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Translate »