O primeiro passo para cuidar do seu corpo é consentir, que um olhar mais amigo atravesse o espelho e encontre todas as suas minúcias.

Muito além de um estigma ou uma condição de um padrão insustentável de “beleza”, a celulite é uma manifestação natural do corpo, e compõe aqueles detalhes que nos fazem seres reais, orgânicos e viventes.

Em condições mais acentuadas, pode indicar hábitos alimentares inadequados, níveis de estresse, sedentarismo e baixa ingestão de líquidos. Os óleos essenciais são auxílios naturais, que podem contribuir para a melhoria da saúde da sua pele, trazendo como adicional o benefício estético.

Acompanhe um trecho do livro “Aromaterapia para Todos”, lançado pela Editora Laszlo.

CELULITE: (Terapeuta: Patricia Davis)
Margareth tinha 29 anos de idade e era professora de música com muita responsabilidade em uma escola feminina. Tinha celulite nas coxas, quadris e nádegas, e uma tendência a ganhar peso devido à retenção de líquido. O problema piorava no calor, quando, então, seus tornozelos inchavam com líquido.

Seu corpo era perceptivelmente piriforme. Sua dieta era muito boa, mas a paciente não fazia nenhum exercício físico, passando longos períodos ou sentada ao piano, ou de pé na sala de aula. Sentia bastante ansiedade em seu trabalho, tendo mesmo tido certo desentendimento com a diretora.

Com três semanas de folga da escola durante o período de Páscoa, Margareth decidiu tomar providências em relação à sua celulite. Vinha à consulta duas vezes por semana, e eu massageava-lhe as áreas problemáticas com óleos essenciais de alecrim, funcho e gerânio. Em casa, ela fazia sua parte com entusiasmo: praticava diariamente exercícios leves e relaxamento; usava óleo de banho com junípero, lavanda, gerânio, bergamota e camomila, para desintoxicar-se, controlar sua ansiedade e prevenir uma eventual depressão. Também começou um curto jejum de fruta no início de sua folga e realizou algumas melhoras em sua dieta.

Os resultados não tardaram. Margareth perdeu muito líquido e a medida de seu quadril se reduziu tão rapidamente, em apenas dez dias, que todas as suas saias se tornaram grandes demais para ela. Fiquei satisfeito que seu sistema linfático estivesse agora funcionando muito mais eficientemente e incorporei ao tratamento uma vigorosa massagem nas áreas com celulite.

Ela também começou a utilizar uma luva de massagem exclusiva em seus banhos diários, como tratamento suplementar. Ao final de três semanas, permanecia somente uma pequena faixa renitente de celulite, na parte de trás de uma das coxas.

Fiquei intrigado com isso e perguntei-lhe se havia algo que ela fazia com uma perna e não com a outra. Depois de pensar um momento, mostrou-me como se sentava ao piano, permitindo-me verificar que a borda do banquinho do piano pegava uma das coxas, pressionando bem em baixo da área afetada.

Como Margareth não pudesse continuar com o tratamento de modo tão intensivo, depois que retornou a seu trabalho na escola, dei-lhe um suprimento de creme de massagem que preparei com cuidadosas instruções sobre como tratar das pernas até que ficassem inteiramente livres de celulite.

Comentários: Esse caso mostra que a colaboração do paciente e o envolvimento em seu próprio processo de cura podem trazer resultados rápidos”

Trecho do livro “Aromaterapia para todos”, de Robert Tisserand – Editora Laszlo