Espiritualidade,  Uncategorized

Os Companheiros Constantes – “O Manuscrito de Sobrevivência”

Os Companheiros Constantes - "O Manuscrito de Sobrevivência - Parte 415"  Canal: Aisha North
Publicado por: Hugo L. Arteiro
08.05.2014  A maré pela qual a humanidade tem de fato passado, agora atingiu um ponto crucial e, como estas ondas de informações energéticas continuam quebrando em cima dela, de maneira que vê a antiga densidade com um olhar mais afiado do que antes. Vamos explicar. Mais uma vez, o que vê não é uma representação exata do que realmente é, e mesmo que isso não seja novidade para nenhum de vocês, ainda vamos manter a necessidade de lembrá-lo disso.  Por que como ainda vê a realidade através dos olhos humanos, também continuará a ignorar a verdade que está por debaixo deste véu de confusão. Não está escondida da vista, pelo contrário, não a percebe devido sua insistência de se concentrar nas camadas sobrepostas de intrusão e confusão. E assim, o que está lá, à vista parece estar escondido numa névoa de muita especulação, frustração e raiva que, de fato, às vezes, faz sentir-se como se estivesse empurrando uma parede impenetrável de luz, que resiste a permissão de sua entrada.  Bem, esse não é o caso, todavia, é apenas aquilo que aparece no olho de quem vê e, desde que o observador optou por manter uma distância das camadas internas, então o véu parece se fechar cada vez mais, ao invés de se abrir. E assim, o que existe para ser descoberto, parece se tornar cada vez mais evasivo com todas essas finas camadas obscurecendo a tudo  parecendo se densificar e se tornar cada vez mais miasmático a cada dia.  Mais uma vez, falamos em termos complicados e, de novo, parece que estamos repetindo a mesma mensagem. Todavia, a verdade é muito simples e possível para todos, embora até agora, as circunstâncias pareçam separar mais do que unir, esse não é o caso, pois mesmo que ache que esteja constantemente tropeçando em obstáculos e batendo em cantos cegos, de fato está se movendo na direção certa.  Mas o problema é que acha que não está e, mantendo os olhos fechados para o óbvio, numa falsa percepção que a escuridão esteja ganhando impulso. Nada poderia estar mais longe da verdade, pois o que realmente está acontecendo, é que está tão perto da Fonte de toda essa Luz que seu brilho poderia cegá-lo e então, mantém os olhos fechados, para protegê-los da intensa luminosidade.  Na verdade, isso é compreensível,  uma vez que ainda estão muito acostumados a viver num ambiente muito escuro  e, na medida em que a intensidade da luz continua a aumentar, seu cérebro reage, tentando fechar todas as frestas que estão admitindo a luz, de modo a manter os antigos e familiares níveis intactos. Novamente, isso é compreensível, pois é uma reação instintiva. Por isso, neste caso, será preciso um pouco mais de esforço de sua parte para permitir que toda esta luz brilhe por todo o caminho afora, por que você não será cegado por ela, se permitir-se a desistir da ideia da necessidade de controlá-la de alguma forma.  Lembre-se, a corrida nesta entrada de informações é suficiente para fazer o mais resistente vacilar um pouco e, assim, tentará se segurar da maneira que puder, tentando filtrar, pelo menos, um pouco da entrada dessa luz. E como resultado disso, haverá um crescente sentimento de mal-estar e desequilíbrio e uma sensação de perplexidade. Pensará que será mais difícil do que nunca escolher qual o próximo caminho a seguir e, assim, será como se estivesse tropeçando em seus pés, a fim de encontrar o caminho certo.  Todavia, tudo que tem de fazer, é simplesmente deixar-se ir com este amoroso fluxo de luz celestial,  que irá conduzi-lo ate lá, para aquele lugar que tem procurado, aparentemente uma eternidade. Como vê, não pode ver claramente o caminho que seguirá, pois este, de fato, não é um caminho ordenado, pavimentado e sinalizado para que o siga. Não é assim que funciona. Tem seguido esse caminho reto e estreito por vidas e é por isso que acabou onde está hoje.  Mas agora, deve deixar de lado todas as antigas cartas e sistemas de navegação em que foram tão bem treinados para obedecer cair no esquecimento e se permitir a ser levado para fora da zona de conforto da idade de previsibilidade e deixar-se ser livre para vaguear, onde este fluxo de luz conduzi-lo. Poderá levá-lo muito longe, não necessariamente no sentido físico e, sim, mais no sentido de quebrar as últimas barreiras restantes dentro de si.  Agora é realmente hora de se permitir tomar as asas e partir em busca de mundos desconhecidos, mundos que estão esperando por você, muito, muito mais perto do que pensa. Vocês tem um conceito que chama de poltrona de viagem e, de muitas maneiras, isto é exatamente ao que estamos nos referindo. Por que precisa se permitir a ser levado numa excursão ao desconhecido que está dentro de si, para a riqueza do território por descobrir que está lá, lhe acenando para ir e visitá-lo.  Por que lá é onde estão as verdadeiras aventuras, mas que também é onde acha que os dragões residem, assim como nos velhos mapas delineando as fronteiras entre o conhecido e o desconhecido. Mesmo que todos estejam muito ansiosos para deixar esta versão da realidade para trás, ainda existem alguns mecanismos de medo que o impede de tomar coragem para dar este mergulho e simplesmente perder-se no poço de possibilidades que o espera lá dentro. É fácil de entender que foi bem treinado para pensar que isso implicaria em muito perigo, na medida em que estiver apto para simplesmente perder-se completamente nos recessos labirínticos do seu ser interior. Assim, a dica mais segura será manter-se na superfície, onde ainda possa ver a luz da entrada.  Bem, esse pode ser o caso para a chamada versão normal de um ser humano, todavia, lembre-se que já percorreu um longo caminho, desde a sua antiga para sua nova versão.  É hora de se oferecer para se aventurar ainda mais interiormente, lá onde irá descobrir que a luz está aumentando e não escurecendo e que este aumento abrupto poderá fazer alguns retrocederem, por temerem que a exposição a tanta luz, talvez seja prejudicial de alguma forma.  Nada poderia estar mais longe da verdade, mas como uma criança tímida buscando conforto na família, parece ser a coisa mais natural a fazer, quando algo tão poderoso de repente se manifesta em sua vida. Mesmo que seja algo acontecendo, a fim de ajudá-lo a finalmente ver a verdade escondida por trás da fachada de sua humanidade, pode parecer muito avassalador, na primeira vez em que precisar recuar e deixar para mais tarde.  Sabemos que muitos já guardam alguma coisa profundamente dentro de si e, que para alguns, o efeito do encontro com essa intensidade foi como já descrito acima, enquanto que outros não guardam nenhuma lembrança, mesmo chegando esse tipo de profundidade interior. Mas isso não significa que ainda estejam presos nessas águas rasas de ontem, pois este é um processo que todos estão passando no momento. Esta é de fato uma parte inevitável do processo da verdadeira reconexão com o núcleo, pois implica na exposição total ao potencial de toda a criação e, neste caso, não existe nenhuma maneira contorná-lo.  Então, é por isso que estamos aqui, para lembrar a todos que neste caminho, não importa o quanto difícil possa parecer e quanto difícil possa ser para caminhar, este trecho, talvez seja a parte mais fácil de toda sua caminhada. O caminho seguinte é mais simples, algo como parar de pensar e simplesmente permitir que isso aconteça. Não precisa de bússola e de descrições detalhadas sobre onde, como e quando fizer. A Luz irá guia-lo para lá, acolhe-lo em seus braços amorosos e levá-lo até a Fonte – ao se permitir que ela faça para isso.  Lembre-se, não há nada lá que possa prejudicá-lo de alguma forma, não importando o quanto forte o brilho dessa luz pareça estar em seus olhos. É de onde veio originalmente, é  simplesmente você em sua forma primária e é para lá que vai voltar. Não vai ser a primeira vez, pois este é o lugar que vai, sempre que sai do atual veículo físico que habita. Quando em trânsito de uma vida para outra, faz um desvio de volta à Fonte antes de mais uma vez iniciar uma nova turnê na humanidade em outra forma humana.  Mas, desta vez, será diferente.  Agora, retornará a Fonte na sua atual estrutura física, vivendo como um ser humano e voltará para a Fonte, para recuperar todas suas faculdades inerentes para, em seguida, voltar no mesmo veículo físico, todavia, armado com todo o seu potencia, como um ser iluminado ocupando seu recipiente humano.  Em outras palavras, o instinto de recuar que sempre experimenta ao se aventurar perto o suficiente desta Fonte de luz brilhante que carregam interiormente é o instinto natural de temor da morte. Todos passaram por esta porta de luz muitas vezes antes e sabem muito bem que aquela luz significa deixar sua vida física para trás. Entende ser essa porta como a última saída de sua permanência Terrena e assim, fica com o pé atrás sobre a ideia de se aventurar por ela neste instante do tempo.  Isso é compreensível, porém desta vez, não será uma saída, será simplesmente algo como uma porta giratória, que irá levá-lo para a luz por um breve momento para, em seguida, envia-lo de volta para o seu mundo, como a mesma pessoa, habitando o mesmo corpo físico, mas, desta vez, totalmente imerso no brilho que só pode ser obtido por estar totalmente conectado a esta mesma Fonte.  Sabemos que estas palavras podem deixar a sua cabeça girando mais rápido que qualquer porta giratória, por isso, por enquanto, vamos deixar assim mesmo. Vamos simplesmente resumir isso da seguinte maneira: todos estão se aproximando rapidamente da revelação final da verdadeira luz interior, mas como foram programados com a ideia de que passar por essa fase significa passar pelo processo da morte (colapso do corpo físico), vai demandar algum esforço da sua parte para se manter indo em frente neste momento.  Porque, assim na medida em que a luz aumentar, pensará que seu domínio sobre sua permanência terrena está indo embora e se sentir como se estivesse perdendo tudo. Mas não estará, de fato, irá adquirir tudo que existe para saber. Entretanto, mesmo que saiba disso de antemão, ainda terá alguns problemas com o desejo de controlar tudo. Desejo de controlar que vem daqueles últimos remanescentes de medo que ainda abrigam interiormente, como o medo de morrer, que foi tão profundamente enraizado dentro de todos vocês, afastando-se assim desta luz brilhante instintivamente.  Não falamos isso para repreendê-lo, por não deverem abrigar tais pensamentos, uma vez que isso é simplesmente uma reação natural. Mas é por isso que estamos aqui, para orientá-lo suavemente sempre em frente, sempre para dentro, cada vez mais perto desta luz imensa que está esperando para recebê-lo em seu interior, lembrando-se de que não será engolido por ela. Em vez disso, será preenchido de tal forma que será capaz de literalmente preencher o mundo inteiro com esta luz, logo após o seu retorno.  E irá novamente voltar, por que é por isso que está aqui, para saciar o seu preenchimento quantas vezes forem necessárias para, em seguida, retornar para o seu mundo e ajudar a saciar a sede de todos a sua volta. Lembre-se, esta luz não é sua e não pode ser contida. Esta luz é aquela que, através de você, finalmente estará disponível para todos.  Fonte: Aisha North – Channelingsand Words of Inspiration
Tradução:  Candido Pedro Jorge

A maré pela qual a humanidade tem de fato passado, agora atingiu um ponto crucial e, como estas ondas de informações energéticas continuam quebrando em cima dela, de maneira que vê a antiga densidade com um olhar mais afiado do que antes. Vamos explicar. Mais uma vez, o que vê não é uma representação exata do que realmente é, e mesmo que isso não seja novidade para nenhum de vocês, ainda vamos manter a necessidade de lembrá-lo disso.

Por que como ainda vê a realidade através dos olhos humanos, também continuará a ignorar a verdade que está por debaixo deste véu de confusão. Não está escondida da vista, pelo contrário, não a percebe devido sua insistência de se concentrar nas camadas sobrepostas de intrusão e confusão. E assim, o que está lá, à vista parece estar escondido numa névoa de muita especulação, frustração e raiva que, de fato, às vezes, faz sentir-se como se estivesse empurrando uma parede impenetrável de luz, que resiste a permissão de sua entrada.

Bem, esse não é o caso, todavia, é apenas aquilo que aparece no olho de quem vê e, desde que o observador optou por manter uma distância das camadas internas, então o véu parece se fechar cada vez mais, ao invés de se abrir. E assim, o que existe para ser descoberto, parece se tornar cada vez mais evasivo com todas essas finas camadas obscurecendo a tudo parecendo se densificar e se tornar cada vez mais miasmático a cada dia.

Mais uma vez, falamos em termos complicados e, de novo, parece que estamos repetindo a mesma mensagem. Todavia, a verdade é muito simples e possível para todos, embora até agora, as circunstâncias pareçam separar mais do que unir, esse não é o caso, pois mesmo que ache que esteja constantemente tropeçando em obstáculos e batendo em cantos cegos, de fato está se movendo na direção certa.

Mas o problema é que acha que não está e, mantendo os olhos fechados para o óbvio, numa falsa percepção que a escuridão esteja ganhando impulso. Nada poderia estar mais longe da verdade, pois o que realmente está acontecendo, é que está tão perto da Fonte de toda essa Luz que seu brilho poderia cegá-lo e então, mantém os olhos fechados, para protegê-los da intensa luminosidade.

Na verdade, isso é compreensível, uma vez que ainda estão muito acostumados a viver num ambiente muito escuro e, na medida em que a intensidade da luz continua a aumentar, seu cérebro reage, tentando fechar todas as frestas que estão admitindo a luz, de modo a manter os antigos e familiares níveis intactos. Novamente, isso é compreensível, pois é uma reação instintiva. Por isso, neste caso, será preciso um pouco mais de esforço de sua parte para permitir que toda esta luz brilhe por todo o caminho afora, por que você não será cegado por ela, se permitir-se a desistir da ideia da necessidade de controlá-la de alguma forma.

Lembre-se, a corrida nesta entrada de informações é suficiente para fazer o mais resistente vacilar um pouco e, assim, tentará se segurar da maneira que puder, tentando filtrar, pelo menos, um pouco da entrada dessa luz. E como resultado disso, haverá um crescente sentimento de mal-estar e desequilíbrio e uma sensação de perplexidade. Pensará que será mais difícil do que nunca escolher qual o próximo caminho a seguir e, assim, será como se estivesse tropeçando em seus pés, a fim de encontrar o caminho certo.

Todavia, tudo que tem de fazer, é simplesmente deixar-se ir com este amoroso fluxo de luz celestial, que irá conduzi-lo ate lá, para aquele lugar que tem procurado, aparentemente uma eternidade. Como vê, não pode ver claramente o caminho que seguirá, pois este, de fato, não é um caminho ordenado, pavimentado e sinalizado para que o siga. Não é assim que funciona. Tem seguido esse caminho reto e estreito por vidas e é por isso que acabou onde está hoje.

Mas agora, deve deixar de lado todas as antigas cartas e sistemas de navegação em que foram tão bem treinados para obedecer cair no esquecimento e se permitir a ser levado para fora da zona de conforto da idade de previsibilidade e deixar-se ser livre para vaguear, onde este fluxo de luz conduzi-lo. Poderá levá-lo muito longe, não necessariamente no sentido físico e, sim, mais no sentido de quebrar as últimas barreiras restantes dentro de si.

Agora é realmente hora de se permitir tomar as asas e partir em busca de mundos desconhecidos, mundos que estão esperando por você, muito, muito mais perto do que pensa. Vocês tem um conceito que chama de poltrona de viagem e, de muitas maneiras, isto é exatamente ao que estamos nos referindo. Por que precisa se permitir a ser levado numa excursão ao desconhecido que está dentro de si, para a riqueza do território por descobrir que está lá, lhe acenando para ir e visitá-lo.

Por que lá é onde estão as verdadeiras aventuras, mas que também é onde acha que os dragões residem, assim como nos velhos mapas delineando as fronteiras entre o conhecido e o desconhecido. Mesmo que todos estejam muito ansiosos para deixar esta versão da realidade para trás, ainda existem alguns mecanismos de medo que o impede de tomar coragem para dar este mergulho e simplesmente perder-se no poço de possibilidades que o espera lá dentro. É fácil de entender que foi bem treinado para pensar que isso implicaria em muito perigo, na medida em que estiver apto para simplesmente perder-se completamente nos recessos labirínticos do seu ser interior. Assim, a dica mais segura será manter-se na superfície, onde ainda possa ver a luz da entrada.

Bem, esse pode ser o caso para a chamada versão normal de um ser humano, todavia, lembre-se que já percorreu um longo caminho, desde a sua antiga para sua nova versão. É hora de se oferecer para se aventurar ainda mais interiormente, lá onde irá descobrir que a luz está aumentando e não escurecendo e que este aumento abrupto poderá fazer alguns retrocederem, por temerem que a exposição a tanta luz, talvez seja prejudicial de alguma forma.

Nada poderia estar mais longe da verdade, mas como uma criança tímida buscando conforto na família, parece ser a coisa mais natural a fazer, quando algo tão poderoso de repente se manifesta em sua vida. Mesmo que seja algo acontecendo, a fim de ajudá-lo a finalmente ver a verdade escondida por trás da fachada de sua humanidade, pode parecer muito avassalador, na primeira vez em que precisar recuar e deixar para mais tarde.

Sabemos que muitos já guardam alguma coisa profundamente dentro de si e, que para alguns, o efeito do encontro com essa intensidade foi como já descrito acima, enquanto que outros não guardam nenhuma lembrança, mesmo chegando esse tipo de profundidade interior. Mas isso não significa que ainda estejam presos nessas águas rasas de ontem, pois este é um processo que todos estão passando no momento. Esta é de fato uma parte inevitável do processo da verdadeira reconexão com o núcleo, pois implica na exposição total ao potencial de toda a criação e, neste caso, não existe nenhuma maneira contorná-lo.

Então, é por isso que estamos aqui, para lembrar a todos que neste caminho, não importa o quanto difícil possa parecer e quanto difícil possa ser para caminhar, este trecho, talvez seja a parte mais fácil de toda sua caminhada. O caminho seguinte é mais simples, algo como parar de pensar e simplesmente permitir que isso aconteça. Não precisa de bússola e de descrições detalhadas sobre onde, como e quando fizer. A Luz irá guia-lo para lá, acolhe-lo em seus braços amorosos e levá-lo até a Fonte – ao se permitir que ela faça para isso.

Lembre-se, não há nada lá que possa prejudicá-lo de alguma forma, não importando o quanto forte o brilho dessa luz pareça estar em seus olhos. É de onde veio originalmente, é simplesmente você em sua forma primária e é para lá que vai voltar. Não vai ser a primeira vez, pois este é o lugar que vai, sempre que sai do atual veículo físico que habita. Quando em trânsito de uma vida para outra, faz um desvio de volta à Fonte antes de mais uma vez iniciar uma nova turnê na humanidade em outra forma humana. Mas, desta vez, será diferente.

Agora, retornará a Fonte na sua atual estrutura física, vivendo como um ser humano e voltará para a Fonte, para recuperar todas suas faculdades inerentes para, em seguida, voltar no mesmo veículo físico, todavia, armado com todo o seu potencia, como um ser iluminado ocupando seu recipiente humano.

Em outras palavras, o instinto de recuar que sempre experimenta ao se aventurar perto o suficiente desta Fonte de luz brilhante que carregam interiormente é o instinto natural de temor da morte. Todos passaram por esta porta de luz muitas vezes antes e sabem muito bem que aquela luz significa deixar sua vida física para trás. Entende ser essa porta como a última saída de sua permanência Terrena e assim, fica com o pé atrás sobre a ideia de se aventurar por ela neste instante do tempo.

Isso é compreensível, porém desta vez, não será uma saída, será simplesmente algo como uma porta giratória, que irá levá-lo para a luz por um breve momento para, em seguida, envia-lo de volta para o seu mundo, como a mesma pessoa, habitando o mesmo corpo físico, mas, desta vez, totalmente imerso no brilho que só pode ser obtido por estar totalmente conectado a esta mesma Fonte.

Sabemos que estas palavras podem deixar a sua cabeça girando mais rápido que qualquer porta giratória, por isso, por enquanto, vamos deixar assim mesmo. Vamos simplesmente resumir isso da seguinte maneira: todos estão se aproximando rapidamente da revelação final da verdadeira luz interior, mas como foram programados com a ideia de que passar por essa fase significa passar pelo processo da morte (colapso do corpo físico), vai demandar algum esforço da sua parte para se manter indo em frente neste momento.

Porque, assim na medida em que a luz aumentar, pensará que seu domínio sobre sua permanência terrena está indo embora e se sentir como se estivesse perdendo tudo. Mas não estará, de fato, irá adquirir tudo que existe para saber. Entretanto, mesmo que saiba disso de antemão, ainda terá alguns problemas com o desejo de controlar tudo. Desejo de controlar que vem daqueles últimos remanescentes de medo que ainda abrigam interiormente, como o medo de morrer, que foi tão profundamente enraizado dentro de todos vocês, afastando-se assim desta luz brilhante instintivamente.

Não falamos isso para repreendê-lo, por não deverem abrigar tais pensamentos, uma vez que isso é simplesmente uma reação natural. Mas é por isso que estamos aqui, para orientá-lo suavemente sempre em frente, sempre para dentro, cada vez mais perto desta luz imensa que está esperando para recebê-lo em seu interior, lembrando-se de que não será engolido por ela. Em vez disso, será preenchido de tal forma que será capaz de literalmente preencher o mundo inteiro com esta luz, logo após o seu retorno.

E irá novamente voltar, por que é por isso que está aqui, para saciar o seu preenchimento quantas vezes forem necessárias para, em seguida, retornar para o seu mundo e ajudar a saciar a sede de todos a sua volta. Lembre-se, esta luz não é sua e não pode ser contida. Esta luz é aquela que, através de você, finalmente estará disponível para todos.

Fonte: Aisha North – Channelingsand Words of Inspiration
Tradução: Candido Pedro Jorge

Publicado por: Hugo L. Arteiro

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Translate »