Alimentação,  Uncategorized

“Restrição ao sal aumenta mortes e hospitalizações por doença cardíaca”, diz o médico Dr. David Brownstein

salt-3

Dr. David Brownsteinmédico norte-americano, autor do livro “Salt: Your Way to Health (Sal: o caminho da saúde), é graduado pela Universidade de Michigan e Wayne State University School of Medicine.

É professor clínico de Medicina da Wayne State University School of Medicine. É membro da Academia de Médicos de Família, da Academia Americana de Medicina Preventiva e da Sociedade de Acupuntura de Michigan e da Academia Americana de Acupuntura Médica.

Sobre o nutriente SAL, este médico e professor de medicina diz que:

Desde que me formei na escola de medicina, em 1989, eu cheguei a conclusão de que muito do que me foi ensinado estava errado. Na verdade, na minha formatura na escola de medicina, o reitor disse: “50% do que acabamos de lhes ensinar está errado, o trabalho de vocês é descobrir qual parte foi correta e o que foi incorreto”.

Quando os estudantes de medicina vem ao meu escritório, eu sempre os incetivo a questionar tudo, a questionar o que lhes foi ensinado. Eu fui ensinado na escola médica de que uma dieta com pouco sal é saudável.

Além disso, foi colocado em minha cabeça que qualquer pessoa com doença cardíaca, particularmente insuficiência cardíaca, deve limitar o sal na dieta. Na verdade, isso é o padrão do cuidado de um cardiologista ao seu paciente com problemas de coração, limitar o sal da dieta. Isto é especialmente verdade quando o paciente sofre de insuficiência cardíaca.

Então, se limitando sal na dieta de um paciente com insuficiência cardíaca teríamos um melhor resultado? Um estudo recente (Journal of the American College of Cardiology: Heart Failure.  Vol. 4, No. 1, January, 2016) procurou avaliar o impacto da restrição de sódio em pacientes com insuficiência cardíaca.

Foram inscritos 902 pacientes com insuficiencia cardíaca e os acompanharam por 36 meses. Com base na ingestão de sódio, os indivíduos foram classificados em dois grupos: ‘restrição ao sódio (<2.500 mg/dia) e irrestritos ao sódio (> 2.500 mg/dia).

Resultado: a restrição ao sódio foi associado a um risco significativamente maior de morte ou hospitalização por insuficiência cardíaca em 85%. Os autores concluíram: “em pacientes com insuficiência cardíaca, restrição de sódio pode ter um impacto NEGATIVO sobre o resultado”.

O sal é o segundo principal constituinte do corpo humano, ao lado da água. Se os médicos estão sugerindo para limitar o segundo principal constituinte do corpo eles deveriam ter bons dados sólidos disponíveis para fazer essa recomendação.

Eu testei milhares de pacientes para verificar seus níveis de sal e descobri que a maioria, mais de 90% são deficientes de sal. Nunca houve dados sólidos para demonstrar que a limitação de sal em pacientes cardíacos seja benéfico.

O sal é um nutriente essencial no organismo. A maioria das pessoas que limitam o sal em suas dietas tornam-se fracos pelos muitos efeitos adversos, incluindo pressão arterial elevada (sim, você leu corretamente!), disfunção cerebral, fadiga, fraqueza, bem como dores musculares e câimbras nas pernas.

O sal é um nutriente vital; não podemos viver sem ele. É tão vital como o oxigênio ou a água para o nosso corpo.

Para a maioria das pessoas, limitar o sal é uma ideia ridícula. Existem poucas pessoas sensíveis ao sal e distantes entre si. É importante comer o tipo certo de sal e evitar o sal refinado.

Referência:

http://blog.drbrownstein.com/salt-restriction-results-in-increased-death-and-hospitalization/

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Translate »