O ser humano não é apenas corpo físico. Possui corpos denominados “sutis”, feitos de substância energética não detectável por nossos equipamentos e instrumentos de medição e constituídos de uma espécie de “matéria” de freqüência vibratória mais alta do que a que constitui o corpo físico.

As essências Florais trabalham neste campo sutil, e são uma poderosa ferramenta utilizada na medicina vibracional, e a energia das plantas e flores é usada para trabalhar os níveis da consciência, ora transformando condições desarmoniosas (medo, raiva, ressentimento, culpa), ora ampliando as condições positivas (aumento da auto-estima, da criatividade, da alegria, da cooperação). As essências florais de Bach se enquadram nas que trabalham as condições negativas.

Embora trabalhem no campo sutil, elas causam impacto energético também no corpo físico e podem ser usadas como auxiliar no tratamento das doenças físicas, sem que, no entanto, os tratamentos médicos ou psicoterapêuticos sejam dispensados.

Na nossa anatomia sutil há o chamado “fluido etérico” – parte do corpo etérico que rodeia cada célula do corpo físico e que leva/mantém a energia vital nas células. É nesse fluido etérico que se fixa a essência floral, possibilitando o impacto a nível celular no corpo físico.

O pensamento e o sistema de crenças são pura energia, tem poder e geram a nossa realidade e os nossos sentimentos.

Uma das primeiras reações quando se começa a trabalhar com as essências Florais é uma maior consciência daquilo que se pensa, e conseqüentemente, se sente.

Que por conseqüência é uma das causas energéticas da doença. Isto pode trazer um certo desconforto, porque a maioria das pessoas desconhece o seu padrão de pensamento e sentimento.

A trajetória das essências florais no corpo é instantânea, mas os seus resultados podem não ser imediatos, às vezes decorrendo meses e muitas prescrições até se desmontar um padrão desarmonioso.

Faça sua consulta ou nosso Curso Livre de Floras nos sistemas Bach, Minas e Saint Germain – Contatos pelo e-mail espacodosol@gmail.com

cover_front_big

Walnut (Juglans regia) – (Grupo da hipersensibilidade a ideias e influências)

Sua descoberta

  • Foi a 30ª essência encontrada, na primavera de 1935, em Sotwell.
  • Esta essência veio abrir totalmente sua individualidade e lhe permitir sua obra.
  • Ele foi uma pessoa que sempre manteve sua individualidade no modo de ser e em sua obra de cura, criando algo novo e original, grande exemplo de Walnut positivo.

Preparação

  • Método da fervura.

Característica da pessoa

  • Para pessoas com dificuldade em adaptar-se às mudanças da vida. Pode ser qualquer tipo de mudanças: de casa, trabalho, gravidez, aposentadoria.
  • Para aqueles com ideais e ambições bem definidos na vida e que estão concretizando, mas em alguns momentos são tentados a se afastar diante do entusiasmo e opiniões dos demais.

Sintomas-chave

  • Dificuldades de ajustamento em períodos de transição da vida.
  • A pes­soa quer resistir a influências poderosas e seguir suas próprias e verda­deiras ambições.
  • Essência do nascimento da individualidade. Dá a visão e a proteção dos limites de ação e das sensações do nosso corpo físico.
  • O dr. Bach chamava o Walnut de “quebrador de feitiços”, para quando deixamos de ser nós mesmos e saímos do caminho.
  • Floral que ajuda a vencer os padrões antigos e rígidos criados pelo nosso ego (nossa casca) e assumir o eu interno.
  • Abre a visão interior, o terceiro olho, dando clareza à mente (sem influências), estabelece a capacidade associativa (comunicação entre os dois hemisférios cerebrais) e libera a capacidade de inspiração criativa e da intuição.
  • Faz a limpeza de ambientes, eliminando os pensamentos ruins de outras pessoas (pode ser usado também em forma de aspersão).
  • Walnut negativo, apesar de forte, de saber o que quer, é muito sensível.
  • Capta influências do ambiente, desequilibrando seu eixo, o que leva seu corpo a sair da postura centrada (fica sugado de energia).
  • Os órgãos dos sentidos podem estar mais abertos, captando sensações que não sabe definir.
  • A pele, é o limite exterior do corpo e ponto de sensibilidade, por onde são captadas influências do ambiente ou de pensamentos, pode desenvolver coceiras, alergias, manchas roxas, etc. – quando o corpo não sabe entender as mensagens que vêm de fora.
  • Outras alergias podem se manifestar: bronquite, rinite ou sinusite, que se agravam por influência climática (pólen da primavera, pelo frio, etc.).
  • O pensamento é a parte mais afetada. As ideias ficam confusas, perde o ponto de referência por influências externas, porque ocorre bloqueio nas capacidades superiores.
  • E um floral importante em todas as fases de mudanças – escola, cidade, casamento, divórcio, adolescência, menopausa, mudança de religião, etc. – enfim, quando o novo desequilibra.
  • Útil para os indivíduos de mente rígida (Beech, Oak, etc.), abrindo-lhes a sensibilidade; para os que não conseguem quebrar o elo com o passado e para os que se encontram em fase terminal, na aceitação da passagem para o outro mundo de modo natural.
  • Walnut também é indicado sempre que a pessoa sai do eixo por influência da mudança de fase hormonal (desequilíbrio da hipófise que somatiza em qualquer ponto).
  • Aconselhável para bebês sensíveis a visitas ou ambientes; para grávidas choronas, que captam o negativo externo; e na menopausa, quando não há aceitação das mudanças do corpo.

Walnut e o Terapeuta:

Quando acontece de o paciente tocar o terapeuta em um determinado sentimento, causando-lhe desequilíbrio, bloqueio ou confusão mental, significa que esse conteúdo emocional do terapeuta necessita ser trabalhado.

Walnut lhe dará a visão interior para perceber com exatidão o ponto tocado, qual abordagem deverá ser realizada para que não seja mais uma porta de desequilíbrio, mas sim de entendimento, permitindo-lhe que delimite seu mundo pessoal, fazendo trocas sem ficar com a dor do outro.

Qualidades que a essência vai desenvolver

  • Walnut vai proteger a nossa individualidade, para que possamos seguir sem desviar do nosso caminho e sem sofrer influências externas, permanecendo firmes nos nossos ideais livres do passado, fazendo as mudanças necessárias na vida
  • Está imune a influências externas e aberto à inspiração interior.
  • Acha-se finalmente capaz de libertar-se das sombras do passado.

Medidas de apoio

  • Durante períodos de mudança: durma o tempo suficiente e coma com bom senso.
  • Evite quaisquer fatores adicionais que possam trazer incertezas e novas instabilidades à personalidade.
  • Medite no chakra da coroa.

Afirmações positivas:

  • “Estou apenas seguindo minha própria orientação interior”.
  • “Dispenso todos os fatores limitantes, que me impedem de alcançar a meta da minha vida”.
  • “As influências destrutivas passam por mim”.

Veja este e os outros 37 Florais de Bach em nosso Livro – Temos também Curso Livre de Florais de Bach – com base no Livro – espacodosol@gmail.com

Link compra – https://goo.gl/9rq8QW

FLORAIS_BACH

O ser humano não é apenas corpo físico. Possui corpos denominados “sutis”, feitos de substância energética não detectável por nossos equipamentos e instrumentos de medição e constituídos de uma espécie de “matéria” de frequência vibratória mais alta do que a que constitui o corpo físico.

As essências Florais trabalham neste campo sutil, e são uma poderosa ferramenta utilizada na medicina vibracional, e a energia das plantas e flores é usada para trabalhar os níveis da consciência, ora transformando condições desarmoniosas (medo, raiva, ressentimento, culpa), ora ampliando as condições positivas (aumento da auto-estima, da criatividade, da alegria, da cooperação). As essências florais de Bach se enquadram nas que trabalham as condições negativas.

Embora trabalhem no campo sutil, elas causam impacto energético também no corpo físico e podem ser usadas como auxiliar no tratamento das doenças físicas, sem que, no entanto, os tratamentos médicos ou psicoterapêuticos sejam dispensados. Na nossa anatomia sutil há o chamado “fluido etérico” – parte do corpo etérico que rodeia cada célula do corpo físico e que leva/mantém a energia vital nas células. É nesse fluido etérico que se fixa a essência floral, possibilitando o impacto a nível celular no corpo físico.

O pensamento e o sistema de crenças são pura energia, tem poder e geram a nossa realidade e os nossos sentimentos. Uma das primeiras reações quando se começa a trabalhar com as essências Florais é uma maior consciência daquilo que se pensa, e consequentemente, se sente. Que por consequência é uma das causas energéticas da doença. Isto pode trazer um certo desconforto, porque a maioria das pessoas desconhece o seu padrão de pensamento e sentimento.

A trajetória das essências florais no corpo é instantânea, mas os seus resultados podem não ser imediatos, às vezes decorrendo meses e muitas prescrições até se desmontar um padrão desarmonioso.

PORQUE AS ESSÊNCIAS FLORAIS SÃO TOMADAS SOB FORMA SUBLINGUAL

A região abaixo da língua é uma poderosa zona reflexa e permite uma rápida absorção dos remédios florais.

QUANTIDADE DE FLORAIS

Estudos realizados por eminentes terapeutas florais recomendam que seja usado num composto realmente somente as essências necessárias para o tratamento imediato dos sintomas apresentados, sem exageros desnecessários que poderão abrir portas com as quais a pessoa não está preparada para administrar.

As essências florais são escolhidas mediante uma variedade enorme de processos que vão da radiestesia à cineologia, da astrologia aos questionários sobre a vida, os hábitos e os sentimentos do paciente.

Neste trabalho, o tipo de abordagem é o de “análise de sintomas”, trabalhando-se com o que se chama de “metafísica da doença”, isto é, os aspectos sutis do ser e de suas manifestações no corpo.

Diferentemente dos remédios alopáticos e das tinturas, os florais não causam intoxicações ou outras reações físicas desagradáveis. Com base no princípio de que “o floral não faz mal”, abusos de dosagem tem sido cometidos , sobretudo no que diz respeito à quantidade de essências prescritas. Uma quantidade enorme de essências indica, em geral, ignorância dos princípios da cura vibracional e, em especial de atuação dos florais.

Como as essências trabalham no nível da consciência, sua atuação se auto-ajusta. Uma quantidade excessiva de florais terá os seus efeitos anulados, seja no plano físico, por incompatibilidade de ação, seja no plano da consciência, por ela não se abrir à atuação. Isto significa desperdício em todos os níveis. Das essências, do tempo e da confiança do paciente.

É importante que ao formular o composto floral para si ou para os outros, a pessoa tenha a consciência e a responsabilidade de saber que está atuando também no físico, porque este é o plano onde o campo energético sutil de cada ser se manifesta.

Quando um paciente apresentar um quadro que exija cuidados em muitas áreas, o princípio do uso responsável das ferramentas vibracionais manda que ou se trabalhe por partes, cuidando dos problemas mais emergentes, ou se faça uma “limpeza das toxinas”, de modo que, limpo o campo sutil, o que seja mais importante apareça e enseje uma prescrição correta e responsável.

Os curadores vibracionais têm suas responsabilidades capituladas nas leis da consciência e, consequentemente, do carma.

A FORMULAÇÃO

As essências florais são apresentadas nos chamados “frasco de estoque”.

A fórmula de uso do floral de Bach consta de:

30 ml de água pura mais 5 ml de brandy para conservação mais 4 gotas da essência do “frasco de estoque”.

Para alguns tipos de florais, esses dados são alterados, sendo importante que aquele que vai usar outro sistema se informe quanto às suas especificidades.

No caso de pacientes que estejam se submetendo a tratamentos com psicotrópicos ou de pacientes viciados, recomenda-se substituir o brandy por vinagre ou glicerina vegetal.

A maioria das essências pode ser usada em cremes e loções, e também em banhos e aspersões em ambientes.

Para banhos, podem ser usadas sete gotas de essência diluídas em uma quantidade de água que baste para molhar o corpo todo. Qualquer banho com essência deve ser tomado após o banho normal.

Cremes e loções devem ser preparados em farmácias de manipulação, de acordo com a indicação específica.

A DOSAGEM

A dosagem recomendada para os florais de Bach é de 4 gotas, sob forma sublingual, quatro vezes ao dia. Essa dosagem pode, porém ser alterada. Em casos de emergências, as essências podem ser tomadas com intervalos de até 15 minutos.

ONDE E COMO ADQUIRIR OS FLORAIS

As essências florais podem ser adquiridas de duas formas:

  • O Kit com o “frasco de estoque”, pode ser adquirido junto aos representantes no Brasil ou em algumas farmácias.
  • O frasco com a dosagem de tratamento (uma única essência ou um composto) é preparado em farmácias homeopáticas e lojas de produtos naturais ou, eventualmente, por terapeutas que preferem fazer eles próprios a formulação.

A “CRISE DE CURA”

Como os Florais trabalham no plano sutil, pode haver, em algum momento do tratamento, uma exacerbação dos sintomas, sejam físicos ou emocionais. Isto é chamado de “crise de cura”. A essência está atuando e trazendo para a consciência as emoções subjacentes à doença.

Nesse período, haverá a confrontação de sentimentos dolorosos para o desbloqueio. É importante que a pessoa seja orientada a observar seus sentimentos e pensamentos durante o período de uso dos florais. Os sonhos podem ser igualmente uma fonte importante de informações nesse período.

Durante a crise de cura, o paciente pode ter sentimentos de desamparo, cabendo ao terapeuta apoiá-lo ou, quando for o caso, remetê-lo ao profissional competente da Medicina ou da Psicologia.

(Texto do livro Os florais de Bach e as síndromes do feminino de Maria Duques)

Quer saber mais: Temos o Curso presencial de Florais de Bach – agende seu horário

espacodosol@gmail.com

florais.de_.bach_.originais

Era uma vez, e sempre era uma vez, dezesseis viajantes que iniciaram uma jornada pela floresta.

No começo tudo foi bem, mas após uma certa distância, um deles, Agrimony, começou a preocupar-se e a pensar que poderiam não estar no caminho certo. Algum tempo depois, durante à tarde, conforme iam penetrando nas sombras da floresta, Mimulus começou a ficar com medo de que tivessem perdido a rota.

Quando o sol se pôs, a sombras aumentaram e os ruídos noturnos fizeram-se ouvir, e Rock Rose ficou aterrorizado e em estado de pânico. No meio da noite, quando tudo estava escuro, Gorse perdeu a esperança e disse: “Não posso prosseguir. Continuem vocês, mas eu ficarei aqui até que a morte alivie meu sofrimento”.

Por outro lado, Oak, embora sentindo que tudo estava perdido e que nunca mais veriam a luz do sol, disse: “Lutarei até o fim” e falou isso impetuosamente.

Scleranthus tinha uma esperança, mas às vezes, sofria muito devido à incerteza e indecisão, primeiro querendo seguir um caminho e quase em seguida outro. Clematis prosseguia tranquila e pacientemente, preocupando-se apenas um pouco em se cairia no sono ou se sairia da floresta. Gentian, muito alegre na partida, caiu num estado de desalento e depressão.

Os outros viajantes nunca tiveram medo, queriam continuar, e à sua maneira, queriam muito ajudar seus companheiros.

Heather estava certo que conhecia o caminho e queria que todos o seguissem.

Chicory não se importava com o final da jornada, mas era bastante solícito, procurando saber se seus companheiros estavam cansados ou tinham bastante comida. Cerato não confiava muito em seu próprio julgamento e queria experimentar todas as trilhas para ter certeza de que não estava errado.

O meigo e pequeno Centaury queria tanto aliviar a tensão de todos, que estava pronto para carregar a bagagem de todo mundo. Infelizmente para o pequeno Centaury, ele geralmente carregava a carga daqueles mais capazes de suportá-la, porque eram os que pediam mais alto.

Rock Water, pressuroso para ajudar, deprimia um pouco o grupo porque criticava aquilo que achava que estavam fazendo de errado, mas, ele, Rock Water, conhecia o caminho.

Vervain também deveria conhecer bem o caminho e, embora tivesse ficado ligeiramente confuso, seguiu em frente pelo único caminho que levava à saída da floresta. Impatiens também conhecia muito bem o caminho de casa, de modo que ficava impaciente com aqueles que andavam mais lentamente. Water Violet já tinha andado antes por aquele caminho e mostrava-se ligeiramente orgulhoso e um pouco desdenhoso sem que os outros compreendessem por que. Water Violet achava-os inferiores.

E no final todos conseguiram atravessar a floresta.

Agora eles trabalham como guias para outros viajantes que não fizeram a viagem antes, porque sabem que há um caminho e porque sabem que a escuridão da floresta é formada apenas pelas sombras da noite. Caminham como heróis destemidos e cada um dos dezesseis viajantes ensina, à sua maneira, a lição, o exemplo necessário.

Agrimony libertou-se de todas as preocupações e vive fazendo brincadeiras. Mimulus perdeu o medo. Rock Rose nos momentos mais negros é o retrato da calma e da serena coragem. Gorse, naquelas noites mais escuras, fala aos viajantes do progresso que farão quando o sol surgir pela manhã.

Oak resiste imperturbável ao vento mais forte; Scleranthus caminha com plena certeza; os olhos de Clematis estão fixos na alegria da chegada e nenhuma dificuldade ou revés pode desencorajar Gentian.

Heather aprendeu que cada viajante precisa seguir seu próprio caminho e tranquilamente segue em frente, para mostrar que isso pode ser feito. Chicory, sempre querendo dar a mão, mas apenas quando lhe pedem, o faz muito calmamente. Cerato conhece muito bem os atalhos que levam a lugar nenhum e Centaury sempre busca aquele mais fraco, que acha muito pesada a sua carga.

Rock Water parou de acusar; passa o tempo todo encorajando. Vervain não faz mais sermões; apenas aponta o caminho silenciosamente. Impatiens parou de apressar e se coloca entre os últimos para manter seu passo. E Water Violet, mais parecido com um anjo do que com um homem, passa entre os companheiros como uma brisa morna ou um raio glorioso de sol, abençoando a todos.

Curso de Florais de Bach – Agende seu horário – contato: espacodosol@gmail.com

Agrimo9 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

(Grupo Sensibilidade excessiva a opiniões alheias)

Preparação – Método solar 

Característica da pessoa – Esconde o seu tormento com uma máscara de falsa alegria

Sintomas chave – Fazem-se tentativas de esconder pensamentos torturantes e ansiedade interior por trás de uma fachada de jovialidade e liberação das preocu­pações.

Sintomas devidos ao bloqueio da energia

  • Gosta de viver em paz, numa boa atmosfera; a discórdia e as perturbações no ambiente que cercam a pessoa causam-lhe tensão mental.

  • Fará muita coisa "só por amor da paz".

  • Fará, praticamente, qualquer sacrifício para manter a paz de espírito, dentro e fora de si mesmo, e evitar confrontações.

  • Sua própria turbulência e desassossego interiores estão escondi­dos por trás de uma máscara de jovialidade e alegria. A divisa é: "sorrir sempre…"

  • Dá-se grande importância à impressão que se causa.

  • Os problemas são minimizados e não se fala a respeito deles; nem sequer são admitidos quando o assunto é trazido à baila por outros.

  • Para escapar aos pensamentos persistentes, atormentadores, está permanentemente à procura de excitação e variedade — cinema, festas, ação de qualquer tipo.

  • E sociável, a fim de esquecer as próprias preocupações em boa companhia.

  • É o bom amigo, o pacificador, o grande sujeito, a vida e a alma da festa.

  • Recorre ao álcool, às bolinhas, às drogas para superar tempos difíceis e abafar pensamentos desagradáveis.

  • Precisa estar sempre em movimento, para parar de pensar.

  • Doente, minimiza os incômodos; faz piadas até para divertir o grupo de enfermagem.

  • Dor e sentimentos internos secretos de solidão na infância; as crianças, porém, normalmente esquecem depressa os seus pro­blemas.

Transformação potencial posterior

  • Uniformidade de índole, discernimento, objetividade.

  • Alegria interior genuína.

  • Otimista confiante, diplomata talentoso, pacificador incansável.

  • Capaz de integrar os aspectos menos agradáveis da vida.

  • Os problemas são vistos à luz correta.

  • Capaz de rir-se das próprias preocupações, pois tem consciência da falta relativa de importância delas.

  • Consciente da unidade na diversidade.

Fonte: Curso Florais de Bach – Espaço do Sol – espacodosol@gmail.com

Observação Geral:
Quando as essências florais são bem escolhidas e usadas com atenção e consideração, somos capazes de observar um processo de transformação em cada indivíduo que é único e notável.

O objetivo da terapia floral não é “reparar” sintomas externos, nem ajustar ou mascarar sintomas desagradáveis, ou fazer com que “voltemos” a uma condição estática de conformidade ou normalidade social. Ao invés disso, as essências florais existem para encorajar o desenvolvimento do potencial humano e da evolução da alma humana como um todo.

O sofrimento mental, emocional, ou físico pode ser visto como sendo as dores do trabalho de parto da alma em seu esforço para dar a luz a novos aspectos de seu Eu Superior.

O terapeuta habilidoso e compassivo é uma espécie de parteiro da alma, auxiliando aquelas etapas que podem levar a este novo nascimento.

Baseado em duas décadas de pesquisa clinicas através da Flower Essence Society, conhecida no mundo todo, quatro estágios principais de transformações foram identificados.

Apesar de geralmente ocorrerem na ordem cronologicamente apresentada , as vezes eles podem acontecer ao mesmo tempo ou em uma seqüência levemente alterada.

Nem todos os estágios sem apresentam em cada caso.

Particularmente, os dois últimos estágios têm mais chances de acontecer quando já ocorreram vários ciclos de uso de essências e quando a administração das essências ocorre juntamente com metas de cura bem definidas e com um trabalho interno.

Estágio Um: Liberação, Relaxamento ou Rejuvenescimento

Este estágio é caracterizado por muitas sensações que são freqüentemente sentidas no corpo. Dependendo das circunstâncias específicas de cada situação estas mudanças podem ser percebidas através de uma liberação de energia excessiva ou disfuncional, uma sensação geral de calma, ou uma sensação de vigor renovado.

Vários sintomas diferentes -porém de curta duração- podem acompanhar o primeiro estágio, tais como mudanças em padrões de sono, mudanças na respiração, vários tipos de liberações ou dores de cabeça. Estes sintomas ocorrem pois um novo alinhamento da relação energética entre corpo/alma está se estabelecendo.

Estágio Dois: Percepção e Reconhecimento

Enquanto os efeitos do Estágio Um são mais prováveis de acontecerem no corpo físico, durante o Estágio Dois os benefícios das essências florais podem então serem percebidos mais claramente no campo mental, produzindo uma variedade de respostas cognitivas.

Conforme o corpo e a alma mudam seu ponto de equilíbrio, pensamentos e sentimentos que operavam um pouco abaixo do alcance da consciência podem agora ser identificados.

Diferente das drogas alopáticas que tendem a mascarar os sintomas negativos, as essências florais fornecem novas informações à respeito de nossa vida emocional e mental.

Elas limpam a janela da percepção através da qual nós nos percebemos, estimulando uma objetividade e uma clareza maior.

Essa percepção consciente ampliada a respeito de nossa “sombra” às vezes pode ser assustadora ou desconfortável. As essências florais nos ajudam a comparar e a contrastar comportamentos ou sentimentos antigos com novas possibilidades de escolhas e de soluções.

Ao darmos continuidade ao trabalho interno que as essências florais vão nos indicando, gradualmente nós vamos ancorando qualidades anímicas positivas que transformam características negativas ou disfuncionais.

Estágio Três: Reação, Resistência e Reconciliação

Para problemas de curta duração ou para o stress diário os primeiros dois estágios podem ser suficientes para trazer para dentro de nós de uma maneira ancorada uma nova parte do Eu.

Entretanto, para que haja uma transformação em seu nível mais profundo geralmente há a necessidade de se trabalhar com traumas e sofrimentos que no passado deixaram uma marca profunda na psique. Neste estágio, pode parecer que a situação piorou ou que regrediu a um estágio anterior de disfunção.

Mudanças verdadeiras envolvem uma escolha consciente e isto geralmente significa que a alma deve revistar seu ferimento ou trauma inicial de forma a trazer uma compreensão renovada, o que anteriormente pode não ter sido possível.

Portanto, os dois primeiros estágios de transformação estão relacionados principalmente ao tempo presente dentro da alma, ao passo que o Estágio Três trabalha com aspectos subjacentes ou que não foram curados presentes memória da alma.

O medo e a resistência inerentes à experiência de se deparar com esta ferida original é normalmente chamado de crise de cura.

Esta crise é caracterizada por uma experiência forte envolvendo polaridades na qual padrões ou crenças antigas a respeito do Eu opõem-se às novas qualidades as quais a alma anseia alcançar.

Esta tensão entre opostos cria uma catarse emocional nas quais as partes do Eu que foram deixadas de lado devem então ser reconciliadas.

O verdadeiro desenvolvimento acontece quando a alma consegue reunir estas partes do Eu formando uma nova união dos opostos, que reconhece ao invés de negar as feridas do passado.

A cura presente no Estágio Três pode envolver sintomas físicos intensos, particularmente a manifestação de tendências a doenças crônicas no corpo ou a padrões de stress.

Geralmente estes sintomas físicos podem ser correlacionados a um ferimento inicial presente na psique que nunca foi completamente curado.

Uma vez que este estágio envolve muitos desafios arquetípicos para a alma, a melhor maneira de acompanhá-lo é através da manutenção de um caderno de sonhos, anotações em um diário, terapia artística, afirmações, meditações e várias formas de terapias que envolvam aconselhamento.

Estágio Quatro: Renovação e Reconstelação

À medida em que a alma tenha curado seus desafios atuais e suas dores do passado, ela pode criar novas possibilidades para sua expressão futura; em outras palavras a alma reorganiza e reagrupa suas forças psíquicas e sua estrutura de personalidade básica.

Neste estágio, percebemos com freqüência o aparecimento de aspectos da alma totalmente novos.

A transformação ativa das imperfeições da personalidade resulta em novas forças e escolhas criativas que não teriam surgido sem este trabalho interior.

O Estágio Quatro reflete o objetivo essencial da terapia floral: fornecer a alma as raízes e asas de que ela necessita para moldar seu destino mais elevado de acordo com os benevolentes poderes espirituais que guardam e guiam sua evolução.

Patrícia Kaminski – Fonte: http://www.flowersociety.org