Existe um “subalimento” pior do que o sal e o açúcar refinado?Infelizmente existe.

E o pior é que, além de ser muito utilizado, as pessoas não sabem disso.Estamos falando do glutamato monossódico.

Existe um “subalimento” pior do que o sal e o açúcar refinado?

Infelizmente existe.

E o pior é que, além de ser muito utilizado, as pessoas não sabem disso.

Estamos falando do glutamato monossódico.

Por apresentar um alto nível de sódio, gordura e produtos químicos, esse elemento é perigosíssimo à nossa saúde.

Um dos efeitos colaterais do glutamato monossódico é a sensação de insaciabilidade.

Ou seja, você come bastante, mas nunca se satisfaz.

O alimento temperado com glutamato tem um melhor sabor.

Ele faz isso enganando sua língua, usando um pouco conhecido quinto estado de sabor: umami.

Umami é o gosto do glutamato, um saboroso gosto encontrado em muitas comidas japonesas, bacon e em todas as preparações que contêm o tóxico glutamato monossódico.

Esse ingrediente é muito usado pela indústria: pizzas congeladas, molhos, temperos prontos, carnes, quase tudo tem glutamato!

Então, não é por acaso que os alimentos processados sejam tão deliciosos e viciantes.

O aditivo “engana” nosso corpo, fazendo-nos acreditar que determinada carne, por exemplo, é muito saborosa.

Os efeitos colaterais, do consumo ao longo do tempo, incluem:

– Dor no peito

– Náuseas

– Suor excessivo

– Dormência na boca e na garganta

– Palpitações

– Fadiga

– Ardor na garganta

– Dificuldade em respirar

– Alergias

– Aumento de peso

É muito comum encontrarmos essa substância nas comidas chinesas e japonesas.

Por isso, pessoas que têm sensibilidade ao aditivo sofrem com a chamada “síndrome da comida chinesa”.

Os sintomas são bem parecidos com os que apresentamos anteriormente.

O glutamato tem uma açãa ainda pior: ele danifica o sistema nervoso, levando os neurônios a um estado de exaustão.

É comum que pessoas tenham sensibilidade a esse “veneno” e não saibam.

Quando param de consumir a substância, os sintomas de doenças que a medicina não conseguia identificar simplesmente desaparecem como num passe de mágica.

Fonte: https://asminhasdicas.org/1216/nao-e-o-sal-nem-o-acucar-este-e-o-pior-veneno-branco-que-comemos-todos-os-dias-/?ref=fbads

O plexo solar é uma completa rede de neurônios, que está localizado embaixo do diafragma, na cavidade abdominal.

É um grande ponto de energia, onde o poderoso Alecrim atua de forma milagrosa, abrindo o  Chakra do Plexo Solar e captando a energia para o corpo.

a

O Alecrim é um grande aliado da inteligência. Ele amplia a capacidade intelectual, aprimora nossas habilidades para receber luz,  aumentando assim a capacidade de fortalecer a glândula pineal.

Desta forma você pode se apropriar da sua capacidade intelectual.

O Alecrim ainda elimina a confusão mental e a fadiga, mantendo a concentração e uma memória sagaz.

A beleza busca no Alecrim verdadeiras poções:  Limpa os órgãos, livra o corpo de toxinas, expele gorduras acumuladas, elimina celulite, dá elasticidade à pele, fortalece os cabelos e unhas, age na pele (evitando manchas), traz ao corpo e cabelos uma aparência leve, dando aspecto de viço e saúde.

A felicidade é algo que todos procuram. O Alecrim é conhecido como a erva da coragem e a sua excelente captação de luz, faz com que o ser humano sinta-se seguro, confiante, evitando a melancolia e o desânimo. Ele restitui nossas energias perdidas e levanta a autoestima.

O Alecrim causa uma sensação de grande bem-estar,  sentimento de felicidade e um estado de tranquilidade e segurança. Ele abre um canal de conexão espiritual e leveza para o ser.

O  Alecrim  aromatiza o ambiente, estimula os sentidos e o corpo se sente revigorado. Um banho de infusão leva ao relaxamento, permitindo ao corpo e a mente um sentimento de bem-estar, energia e sensibilidade.

a

Os Gregos foram sempre uma cultura muito adiantada. Eles faziam do Alecrim, sua completa medicação.

Hipócrates, o pai da medicina, usava a erva macerada em ferimentos. Em grandes vasilhas era fervido para matar doenças no ar (vírus); seu óleo era usado para as tristezas da época (passavam na testa, nos pulsos, pois aliviava a depressão).

a

O Alecrim realmente é uma erva abençoada. A sua difusão é tão grande que vários povos antigos e atuais continuam a usá-la por seu poder curativo, que ativa a mente e ilumina o espírito.

A atuação do Alecrim em seu corpo é imensa: Alivia com rapidez, dores estomacais; limpa e desintoxica o fígado e a vesícula; atua no sistema renal, pois tem um efeito diurético benéfico; um maravilhoso calmante nas ansiedades e atua como indutor do sono; produz energia no corpo, pois filtra toda a energia solar para o organismo; evita o stress emocional; é antidepressivo.

a

No sistema respiratório, o Alecrim age como um bálsamo Divino, combatendo tosses, bronquites, febres intermitentes e  febre tifóide.

As mulheres têm no Alecrim, um grande aliado, pois alivias as cólicas menstruais e ajuda a limpar o útero.

O óleo de Alecrim pode ser usado como aromaterapia para: reumatismo, artrite, tosse, sinusite, bronquite, enxaqueca, déficit de memória e cansaço.

O Alecrim sempre foi muito usado por sua força natural para combater o marasmo amoroso, pois ele age como excelente afrodisíaco. A cautela do Alecrim é para com mulheres grávidas e pessoas com pressão alta.

Para combater demônios e manter o equilíbrio familiar, coloque pequenos ramos debaixo dos travesseiros, encha um coração com Alecrim seco, costure um ótimo decorativo para o espelho do carro, ou faça como desejar.

a

 A natureza clama por poder participar de nossas curas.  A ela foi dada as propriedades que não podem ser criadas em laboratórios.

Podemos estender a mão e cultivar ervas que possuem imenso poder de cura, lembrando sempre que não somos seres fragmentados;

Porém, a cura do corpo, da mente e do espírito… esta complexidade imensa – somente plantas e ervas possuem.

A MÁGICA HISTÓRIA DO ALECRIM

Existem ervas que são milenares, mas uma em especial tem sua história no começo de tudo: ela estava no jardim do Éden. Vamos entender a história desta que é uma erva milagrosa, curativa e que recebeu o poder de expulsar demônios.

O Alecrim do jardim do Grande Criador: Quando o Criador fez o Jardim do Éden, também criou todos os tipos de flores, plantas, ervas e toda a vegetação.

 

Toda vez a que Criador vinha visitar Adão e Eva, as flores se abriam e formavam um caminho de pétalas, para ELE passar. O Alecrim não tinha flores, mas ficava com suas pequenas folhas pontiagudas em guarda e exalava um doce aroma para DEUS.

a

O CRIADOR observava que o Alecrim era como um general, sempre a postos, como uma armadura de agulhas, prontas para defendê-lo.

O CRIADOR também percebeu que o Alecrim o reverenciava com seus longos galhos e seu doce aroma. Observando tamanha fidelidade do Alecrim a Ele, presenteou-o com as mais belas flores e suas  folhas receberam uma variedade de tons de verde e prata.

E assim, o CRIADOR, com toda a sua autoridade, conferiu ao ALECRIM,  o poder de curar doenças e repelir demônios.

a

Com grande carinho,

Ester de Susan

a

Fontes Pesquisadas:

BOTÂNICA OCULTA E MEDICINAL  –  NINA GREGUER

curavegetal.blogspot.com/2012/05/o-alecrim-e-suas-propriedades-curativas.html

(Natural News medicine) – A cultura dos povos nativos peles vermelhas norte americana é algo que muitas pessoas têm em alta conta.

Suas técnicas tradicionais e remédios naturais são realmente algo para se maravilhar.

Cada tribo nativa dos peles vermelhas norte americanos, como os Cherokes  tem sua própria abordagem única.

Tradução, edição e imagens:  Thoth3126@protonmail.ch

Essas incríveis plantas são usadas pelos povos nativos norte americanos para curar doenças

Os Cherokees, uma tribo indígena ao sudeste dos Estados Unidos, acredita que o “Criador” lhes deu o dom de serem capazes de conhecer, compreender e preservar as ervas medicinais.

Um número de ervas e plantas diferentes podem ser usados como tratamendo medicinal para várias doenças, como sempre foi desde o início dos tempos.

Aqui estão nove plantas que a nação pele vermelha Cherokee tem usado ao longo de séculos para curar uma variedade de diferentes sintomas:

gengibre-selvagem1. Big Stretch (gengibre selvagem)

Chá suave feito a partir da planta de gengibre selvagem é conhecido por ajudar a estimular o processo de digestão. Os peles vermelhas Cherokees acreditavam que também poderia tratar de problemas de estômago, cólicas e até gases intestinais. Outra tribo nativa americana, conhecida como The Meskwaki, usou caules de gengibre selvagem pulverizado para tratar infecções de ouvido.

Buck-Brush-flor-beija-flor2. Hummingbird Blossom (Flor do Beija Flor)

A flor do Colibri é usada para tratar uma grande variedade de condições. Tradicionalmente, era usada como um diurético para estimular a função renal, mas também é usada para tratar tonsilas inflamadas ou linfonodos e outras questões orais, bem como sangramento menstrual. Pesquisas modernas de laboratório indicaram que a flor do beija-flor é ótima para o tratamento de bloqueios linfáticos e hipertensão.

wild_mint_02-hortelã-selvagem3. Wild Mint (Hortelã selvagem)

A hortelã permanece popular hoje como um saboroso chá de ervas que também é um antioxidante. Os Cherokees usam a hortelã para ajudar com a digestão, e também as folhas moídas para criar pomadas ou para uso em compressas frias. A hortelã também pode ser adicionada a banhos para ajudar a aliviar a pele com coceira.

blackberry-amora-negra4. Blackberry (Amora negra)

Estas bagas são carregados com antioxidantes e nutrientes que ajudam a apoiar a boa saúde. Além das bagas deliciosas, um chá também pode ser feito a partir da raiz da planta, que é dito para ajudar a diminuir o inchaço nas articulações e tecidos corporais. Mastigar as folhas da planta de amora-preta também é conhecido para ajudar a aliviar sangramento nas gengivas.

220px-Typha_latifolia_cattail5. Cattail 

Cattails é considerada como uma grande planta para medicina preventiva e, salvo as cabeças de sementes e folhas maduras, é digerido facilmente. Cattails fervidos e triturados foram frequentemente utilizados para criar uma pasta para tratar queimaduras e outras feridas. As sementes, ou a lanugem das flores da semente, também foi usado para ajudar a prevenir irritações da pele para bebês.

sumagre6. Sumagreen (Sumagre)

Sumagreen é conhecida como tendo muitos usos diferentes. A casca, por exemplo, pode ser transformada em uma decocção suave para ajudar a aliviar a diarréia. Chá feito de folhas de Sumagreen também é conhecido por ajudar a reduzir febres. Existem muitos tipos de Sumagreira, por isso é preciso ter cuidado para não escolher nenhuma espécie venenosa.

wild-rose7. Wild Rose (Rosa selvagem)

Chá feito a partir de roseiras selvagens tradicionalmente foi utilizado para estimular a função renal e função da bexiga. Uma infusão com as pétalas de rosa também pode ser usado para ajudar a aliviar dores de garganta; as pétalas também podem ser usadas para fazer um compota saborosa. As raízes da planta rosa selvagem também pode ser feita em uma decocção suave para diarréia.

Verbascum_nigrum_028. Mullein (verbascum)

De acordo com os índios Cherokees, esta erva pode ser usada para ajudar a tratar asma e limpar o congestionamento no peito. Inalar a fumaça das folhas e raízes em chamas é usado para realmente ajudar a abrir as vias aéreas e acalmar os pulmões. Decocções feitas de mullein pode ser usadas para escalda pés para aliviar a dor e inflamação. Flores da planta mullein também são usadas para fazer um chá com um efeito sedativo suave.

yarrow-079. Yarrow (Achillea millefolium)

As folhas esmagadas desta planta bem conhecida foram usadas tradicionalmente para estimular a coagulação do sangue. As folhas esmagadas foram aplicadas topicamente a feridas para ajudar a parar o sangramento. O suco de Yarrow, misturado com água fresca, também é usado para ajudar a parar o sangramento intestinal. O Chá feito de folhas de yarrow é conhecido por melhorar a digestão e ajudar com problemas renais e vesícula biliar.

Fitoterapia é verdadeiramente a medicina da natureza, e há muito mais que temos para aprender sobre ela, especialmente a partir de outras culturas nativas. Manter-se informado sobre as estratégias naturais para prevenir a doença em Prevention.news .

Fontes: OrganicAndHealthy.org – OffTheGridNews.com

Permitida a reprodução desde que mantida a formatação original e mencione as fontes.

thoth(172x226)www.thoth3126.com.br

Alimentos gordurosos estão relacionados diretamente ao ganho de peso e a problemas cardíacos.

Mas apesar de só lembrarmos dos pontos negativos, o corpo também precisa de uma quantidade diária de gordura para a formação das células e também para nos dar energia, lembra a nutricionista Aline Carvalho, da USP.

O problema está no excesso. “Os brasileira consomem 80% a mais de carne do que o recomendado pelo World Cancer Reserach Fund”, cita a estudiosa, sendo que a carne vermelha é a principal fonte de gorduras saturadas.

Veja as diferenças entre as gorduras para equilibrar suas refeições no dia a dia:

GORDURAS SATURADAS

Reprodução/Google
imagem: Reprodução/Google

O que são: Quimicamente, são moléculas de gordura que não têm ligações duplas entre os átomos de carbono. Em temperatura ambiente, essas moléculas são sólidas.

Onde estão: as carnes são as principais fontes de gordura saturada na alimentação. A gordura satura está presente principalmente nos bifes com gordura, carne de carneiro, porco, aves com pele, banha de porco, nata de leite, manteiga e queijos. Uma alimentação saudável precisa de fibras, saiba mais.– Patrocinado

Malefícios: Por ser uma molécula sólida, ela se deposita e acumula mais facilmente nos vasos e veias, por isso relacionada a doenças cardiovasculares. Além de aumentar as taxas de LDL (o colesterol ruim) no sangue.

Benefícios: De acordo com a Associação Americana do Coração, em uma dieta de 2.000 calorias, não deve comer mais do que 16g de gordura saturada por dia.

GORDURA INSATURADAS:

Sergio Crusco/UOL
imagem: Sergio Crusco/UOL

O que são: Uma molécula de gordura pode ter uma insaturação da carbono (monoinsaturada) ou mais de duas (polinsaturada), explica a nutricionista da USP, Aline Carvalho.

A gordura é formada por até 30 carbonos e um átomo de carbono pode fazer várias ligações, inclusive entre si.

Quando há uma dupla ligação (um carbono ligado a outro carbono), a molécula ganha um aspecto mais maleável, por isso os óleos são líquidos em temperatura ambiente.

Onde estão: as gorduras polinsaturadas estão presentes nos peixes (como ômega-3 e ômega-6) e nos óleos de soja, milho e girassol. As monoinsaturadas estão nos óleos de canola e azeite e na castanha de caju).

Benefícios: As gorduras insaturadas são benéficas quando ingeridas com moderação, principalmente, se usadas como substitutas das gorduras saturadas. Elas ajudam a reduzir o nível do LDL (conhecido como colesterol ruim) e também são fonte de vitamina E.

Malefícios: A gordura insaturada só faz bem se consumida com moderação. “Exagerar nas frituras, mesmo se usar óleos bons, está associado ao aumento do peso”, afirma, Carvalho.

GORDURA TRANS

Divulgação
Os sorvetes sem glúten do La Basque são opção para a sobremesa de quem possui a restrição alimentar.imagem: Divulgação

O que são: são um tipo de gordura formada por um processo de hidrogenação industrial. São lipídios insaturados que contêm uma ou mais ligações duplas em uma configuração trocada (ou trans). A hidrogenação também ocorre durante o processo de ruminação de alguns animais, fazendo com que em suas carnes haja uma pequena porcentagem.

Onde estão: Estão presentes principalmente nos produtos industrializados, que usam gordura hidrogenada em suas receitas, como margarinas, biscoitos, massas instantâneas, sorvetes, chocolates, pratos congelados e pipoca de micro-ondas. Os alimentos de origem animal, como carne e leite, possuem quantidades insignificantes dessas gorduras, de acordo com a Anvisa.

Malefícios: Aumenta as taxas de colesterol total e de LDL (chamado de colesterol ruim), além de reduzir os níveis de HDL (colesterol bom).

Benefícios: As gorduras trans são utilizadas para melhorar a consistência e o sabor dos alimentos, mas, de acordo com a Anvisa, não há nenhum estudo que comprove benefícios para a saúde.

*Fontes: Anvisa, American Heart Association e Aline Carvalho (nutricionista doutora pela Faculdade de Saúde Pública da USP)

Cientistas descobriram que a depressão é tão ruim para o coração dos homens quanto altos níveis de colesterol e obesidade.

A pesquisa, feita pela Universidade Técnica de Munique e pelo Centro Alemão de Doenças Cardiovasculares, publicada na revista científica Atherosclerosis, procurou verificar o impacto que a doença pode ter quando comparada aos outros quatro fatores mais comumente associados ao infarto: tabagismo, hipertensão, colesterol alto no sangue e obesidade.

Como resultado, foi constatado que 15% das mortes por causa de doenças cardiovasculares tiveram como responsável a depressão.

Apenas fumar e ter alta pressão arterial superam os riscos trazidos pela doença e pelos outros dois fatores.

A pesquisa foi feita com base em dados coletados de 3.428 pacientes homens com idades entre 45 e 74 anos, durante dez anos.

“Nossos dados mostram que a depressão tem um efeito médio dentro dos grandes fatores de risco não-congênitos para o desenvolvimento de uma doença cardiovascular”, diz o líder do projeto, Karl-Heinz Ladwig.

Para ele, visto os resultados da pesquisa, é preciso que o diagnóstico de depressão seja algo usual para os pacientes que já apresentam alto risco de desenvolver alguma doença cardiovascular, com objetivo de prevenção de agravamentos.

A relação entre a saúde cardiovascular e pacientes depressivos não é nova. Um antigo estudo já havia verificado que pacientes vítimas de infarto apresentam mais risco de desenvolverem o transtorno psiquiátrico.

“Em torno de uma em cada cinco pessoas vítimas de infarto sofrerão de depressão pouco tempo depois do episódio”, diz o Dr. Roy Ziegelstein, professor do departamento de medicina do Centro Médico John Hopkins.

A depressão tem como causa diversos motivos, que vão desde situações traumáticas como mortes na família, a fatores genéticos, alimentação e consumo de substâncias como drogas.

A doença vem de um desequilíbrio hormonal no cérebro, que deixa a pessoa em um estado constante de humor triste e doloroso, baixando a atividade física e psicológica ao extremo. Ela pode levar à ansiedade, insônia e, em alguns casos, ao suícidio.

http://revistagalileu.globo.com/Ciencia/noticia/2017/01/depressao-e-tao-ruim-para-o-coracao-quanto-colesterol-alto-e-obesidade.html

*com supervisão de Nathan Fernandes

O gengibre é um alimento poderosíssimo na hora de combater diversas doenças.

Ele tem várias propriedades terapêuticas e seu uso medicinal é milenar.

Alguns dos seus benefícios:

– Melhorar a digestão

– Tratar de doenças respiratórias

– Combater inflamações

– Atua como analgésico natural

– Fortalecer o sistema imunológico

– Prevenir câncer

A lista de benefícios é extensa, não para por aqui.

Mas é preciso saber que há pessoas que devem evitar essa raiz, pois ela piora alguns problemas de saúde.

Saiba em que casos você deve evitar o consumo de gengibre:

1. Pessoas que têm problemas de coagulação do sangue

O gengibre facilita a fluxo de sangue, o que seria um problema para quem tem distúrbios hemorrágicos

E isso pode ser ainda pior se o paciente toma remédios químicos, pois o gengibre interfere no efeito das drogas farmacêuticas.

2. Diabéticos

O gengibre ajuda a reduzir os níveis de açúcar no sangue.

O problema é que se você já toma remédios controlados para equilibrar o açúcar no sangue – estamos falando de medicamentos como metformina ou similar -, o gengibre pode causar hipoglicemia.

Portanto, se você é diabético e consome medicamentos para controlar a doença, é preciso procurar um médico antes de consumir a raiz.

3. Pessoas hipertensas

Remédios para hipertensão e gengibre não combinam, pois a frequência cardíaca pode diminuir.

Portanto, se você consome remédios, como Norvasc, Cardizem ou qualquer outro do gênero, fuja da raiz de gengibre.

Além disso, em algumas pessoas, o gengibre eleva a pressão.

4. Pessoas com cálculos biliares

O gengibre aumenta a produção de bílis, o que exige maior esforço para a vesícula biliar
.
Com isso, o cálculo biliar é levado a se alojar nos condutores que transportam a bílis, causando muita dor no paciente.

Se isso ocorrer, a cirurgia de emergência poderá ser a única solução.

Por outro lado, na medicina chinesa, encontramos recomendações de consumo de gengibre para cálculos biliares.

Então, o que fazer?

Já que existe essa contradição, se você tiver pedras na vesícula, é melhor evitar o gengibre.

Fonte: http://www.curapelanatureza.com.br/post/01/2017/nunca-use-gengibre-se-voce-tiver-um-destes-problemas-de-saude

O túnel do carpo é uma passagem anatômica, localizada na porção anterior do punho, formada por um arco de ossos e por um forte ligamento, chamado de ligamento transverso do carpo.

Dentro desse túnel, localizam-se os tendões flexores para os dedos (total de nove) e o nervo mediano, que é responsável pela sensibilidade do polegar, indicador, dedo médio e a metade externa do dedo anular.

O nervo mediano localiza-se logo abaixo do ligamento transverso do carpo e, por ser a estrutura mais delicada no interior desse túnel, pode causar sensação de dor e dormência nas mãos ao ser comprimido.

A síndrome do túnel do carpo é, em resumo, o conjunto de sinais e sintomas (dor, dormência, formigamento, falta de força) causados pela compressão do nervo mediano no punho.

A síndrome afeta cerca de 75 milhões de pessoas em todo o mundo.

É muito comum em músicos, digitadores, escritores, pessoas que trabalham no computador e costureiras, justamente por serem atividades manuais que forçam uma mesma posição das mãos.

A síndrome, também tem relação com alterações hormonais. Isso explica o fato de os sintomas serem mais comuns à noite ou pela manhã, devido a diminuição do estrógeno, o que causa o acúmulo de líquido na membrana dos tendões.

A doença é mais frequente em mulheres, especialmente após os 40 anos.

COMO COMBATER A SÍNDROME DO TÚNEL DO CARPO?

a) Procure, antes de tudo, melhorar a sua alimentação.

b) Tome sol e faça uma suplementação com vitamina D (50 gotas, no mínimo).

c) A linhaça, o gengibre e a cúrcuma são especialmente benéficos para o problema, pois são alimentos antioxidantes com forte atividade anti-inflamatória.

d) Consuma linhaça nos sucos, vitaminas, na sopa.

É melhor comprar as sementes e triturá-las na hora.

e) O gengibre pode ser consumido em chás e em sucos.

f) A cúrcuma (ou açafrão-da-terra) pode ser ralado para enriquecer a salada.

Seguindo esses conselhos, o portador da síndrome do túnel do carpo sentirá uma melhora considerável.

E, com o passar do tempo, o mal tende a desaparecer.

Namastê!   

Nina Greguer

O corpo humano precisa de diversos nutrientes para se manter saudável e funcional: proteínas, carboidratos, fibras e vitaminas.

Eles são responsáveis por funções importantes no organismo e quando estão em níveis abaixo do normal, podem acabar gerando alguns problemas a longo prazo.

As vitaminas são essenciais no organismo humano, funcionando como aditivos para diversas funções importantes, mesmo que não funcionem como energia ou material de reposição celular.

Elas precisam ser ingeridas meio da alimentação, pois o corpo não produz sozinho as vitaminas essenciais. Você precisa ter uma dieta equilibrada e saudável para manter os níveis desses nutrientes de forma adequada no corpo.

E uma das vitaminas mais importantes a serem ingeridas é a vitamina B12. Saiba mais sobre essa substância, descubra como obtê-la, a importância para o seu organismo e o que pode acontecer caso você tenha deficiência dessa vitamina.

5 benefícios incríveis da vitamina B12

Foto: Getty Images

Como toda vitamina essencial, a B12 traz uma série de benefícios incríveis para o seu organismo a curto e a longo prazo. Confira:

1. Manutenção das funções do sistema nervoso: segundo a nutricionista e mestre em Ciências da Saúde pela USP, Patrícia Cruz, um dos principais benefícios da vitamina B12 é o auxílio na síntese de neurotransmissores, substâncias químicas essenciais no processo de “comunicação” entre as células e, portanto, na realização das mais diversas ações internas e externas do corpo.

2. Formação do DNA: ainda segundo Patrícia, a vitamina B12 é uma das substâncias responsáveis pela formação do DNA celular. A ingestão dessa vitamina é essencial neste aspecto, afinal danos nesse componente da célula podem levar a mutações que futuramente acarretem no desenvolvimento de algum câncer.

3. Proteção de células nervosas: a especialista também destaca que a vitamina B12 possui um papel importante para a proteção das células nervosas, já que é um dos principais componentes da camada de mielina, que protege os neurônios e que regenera danos provocados nessas células. Assim, seu consumo pode ajudar a retardar ou evitar doenças derivadas da degeneração de neurônios (como a demência, por exemplo).

4. Aumenta a fertilidade: a vitamina B12, agindo diretamente no DNA, juntamente com o ácido fólico, permite um aumento da fertilidade na mulher, auxiliando aquelas que têm pretensão de engravidar. Ela também ajuda no aumento da ovulação. Além disso, a vitamina B12 reduz consideravelmente as chances de um aborto espontâneo.

5. Evita anemia: a vitamina B12 é um componente importante na formação, maturação e proteção das hemácias, de forma a mantê-las saudáveis e evitar o desenvolvimento da anemia.

Ou seja, consumir a vitamina B12 é essencial para manter uma série de funções do seu organismo.

O que a deficiência de vitamina B12 pode causar

Foto: Getty Images

Segundo a nutricionista Patrícia Cruz, a deficiência de vitamina B12 traz uma série de problemas a curto e a longo prazo.

A curto prazo ela pode apresentar perda de força muscular, fadiga, dores e tontura. Já a longo prazo, pode causar confusão mental, problemas na visão, hiperhomocisteínemia (um marcador que eleva o risco de problemas cardíacos) e anemia.

Nos casos de deficiências mais graves, pode levar a neuropatia, gerando até mesmo perda parcial ou total de movimentos.

A deficiência de vitamina B12 pode ser causada, principalmente, pelo baixo consumo de alimentos que são as principais fontes da substância. Mas não é esse o único motivo.

Segundo Patrícia, ela também pode ocorrer por deficiência de produção de fator intrínseco, células parentais ou até mesmo por alterações nos transportes plasmáticos.

Essa deficiência pode ser impulsionada em grupos de risco, tais como os vegetarianos restritos, idosos e pacientes com gastrectomia ou outras doenças de estômago, tais como úlceras e neoplasias.

Nos casos de déficit, indica-se o aumento no consumo de alimentos ricos em vitamina B12 e, dependendo do caso, prescreve-se suplementação.

O ácido fólico também é um importante aliado para evitar a deficiência desse nutriente. Aliado com uma boa dieta, ambos ajudam a evitar a anemia, melhorar a fertilidade e também manter baixo os níveis de homocisteína. Patrícia Cruz lembra que alguns estudos indicam que essa substância é um fator de risco para doenças cardiovasculares. Ou seja, consumir ácido fólico e vitamina B12 também ajuda a prevenir problemas no coração.

Onde encontrar a vitamina B12

Ok, agora você sabe que a vitamina B12 é importante para o seu organismo e que, portanto, é essencial que você mantenha um consumo adequado dela.

Vale lembrar que a quantidade indicada de consumo para adultos é de 2,4mg por dia. Mas então, onde encontrá-la?

Veja na tabela quais são os alimentos mais ricos nessa vitamina:

Deu para notar que não faltam alimentos para você consumir e garantir uma boa quantidade de vitamina B12, não é mesmo? Porém, tem um detalhe: percebeu que não há vegetais inclusos nessa lista? É por isso que há uma preocupação para quem é vegano ou vegetariano.

Vitamina B12, vegetarianismo e veganismo

Como falamos antes, os vegetarianos e veganos fazem parte do grupo de risco de deficiência de vitamina B12. Isso porque, a principal fonte dessa substância é de origem animal e, devido a dieta restritiva, as pessoas que seguem essa filosofia de vida precisam de mais cuidados.

A nutricionista Patrícia Cruz ressalta a importância de se fazer de tempos em tempos a análise bioquímica da concentração de vitamina B12 no organismo, a fim de verificar se há problemas com a concentração ou não. Caso seja preciso, deve-se optar pela suplementação.

Suplementação de vitamina B12

Foto: Getty Images

A suplementação de vitamina B12 pode acabar sendo indicada, como falamos, em casos graves com sintomas de deficiência da substância no organismo.

Ela consiste, basicamente, na ingestão de produtos (cápsulas, comprimidos, injetável ou suspensão) que contêm a vitamina isolada nas quantidades diárias recomendadas.

É necessário verificar a concentração da vitamina B12 no organismo, por meio de um exame, e optar por um tratamento de reposição a partir de orientação médica.

O que o consumo em excesso de vitamina B12 pode causar

Segundo a nutricionista Patrícia Cruz, a ingestão dessa substância em quantidades acima do indicado pode levar a um aumento dos linfócitos (células de defesa do corpo), além de alterações no baço. Por isso, o ideal é que você mantenha o consumo indicado por dia e não faça suplementação por conta própria, sem indicação de um profissional responsável.

Então, agora que você sabe tudo sobre a vitamina B12, é só cuidar da sua alimentação, conforme a sua necessidade, e manter-se saudável.

Fonte: http://www.dicasdemulher.com.br/vitamina-b12/

Se o colesterol baixo fosse tão importante, nós estaríamos reduzindo a doença cardiovascular, certo?

Nunca se tomou tanta estatina como atualmente, e aonde está a redução de doença?

Mas, ao invés disso, estamos mais gordos, mais doentes e mais fracos do que nunca – e isso significa que os novos números são na verdade apenas mais uma prova de que eu estava certo sobre isto o tempo todo:

Quando se trata de risco para o coração, o seu nível de colesterol é tão relevante quanto o tamanho do seu pé.

De acordo com os últimos dados no Journal of the American Medical Association, o nível de colesterol total da população tem caído para níveis médios até 10 pontos mais baixos.
Esses níveis estão bem no meio daquilo que se considera “perto do ideal”, e se estamos perto do ideal, nós deveríamos ter as doenças cardíacas em xeque-mate, certo?

As doenças cardíacas eram as principais causas de morte quando o novo estudo começou lá atrás em 1988, na época em que o nível de colesterol era supostamente “alto”. Agora que ele está próximo do ideal, as doenças cardíacas continuam sendo as principais causas de morte atualmente.

Milhões de pessoas têm doenças cardíacas apesar dos números de colesterol “perfeitinhos”, e esse número só tende a subir. Então sugiro 4 medidas para proteger o seu coração:

  1. Jogue tudo que você acha que sabe sobre o colesterol pela janela. Esqueça as metas e esqueça a proporção de LDL para HDL – a única coisa que REALMENTE importa é o colesterol total e o triglicérides. Mantenha o seu colesterol entre 200 e 300, e o seu triglicérides abaixo de 100, assim você estará bem cuidado.
    Se o seu colesterol estiver abaixo disso, faça bastante atenção à próxima medida.
  2. Tire o pó da frigideira, acenda a churrasqueira e faça amizade com o açougueiro do bairro. Bacon, carne vermelha, bisteca de porco, peru, frango e ovos de galinha caipira, em especial a carne escura,agora voltaram para o cardápio de todas as refeições de acordo com as últimas diretrizes alimentares americanas. Você tem um pouco de adequação para fazer.
  3. Evite os carboidratos, especialmente açúcares, grãos e frutose. Esses produtos só aumentarão a sua gordura visceral, o que certamente piora toda a situação.
  4. Abuse de banha de porco (de porco criado a pasto), óleo de coco ou manteiga (de vaca criada à pasto) para cozinhar e esqueça os óleos vegetais hidrogenados ou parcialmente hidrogenados.
  5. Finalmente, pare de estressar-se sobre o seu nível de colesterol. Diferente do LDL, estresse demais realmente é um fator principal de risco para o seu coração.

É simples assim… pode apostar que sim!

Comece hoje e você vencerá as doenças cardíacas, evitará a diabete e viverá uma longa e saudável vida – e finalmente poderá contar com refeições deliciosas, em vez da Cozinha Magra.

Referências bibliográficas:

  • Journal of Nutrition. Nov 1990, 120:11S:1433-1436
  • International Journal of Cardiology. Mar 10, 2005;99(1):65-70
  • JAMA. 1996;276(11):875-881.
  • Am J Clin Nutr. May 1998 vol. 67 no. 5828-836
  • American Journal of Clinical Nutrition. January 13, 2010
  • Annals of Internal Medicine March 18, 2014: 160(6):398-406-406
  • TIME. February 11, 2015

Todo problema de memória deve ser investigado por um bom médico.

Quando um problema sério, como Alzheimer é descartado, é quase certo que as falhas de memória têm relação com o estresse e o cansaço mental.

Neste caso, remédios caseiros e naturais podem ser sim a solução.

O elixir de alecrim e sálvia, por exemplo, é excelente para combater problemas de memória e revigorar a mente.

O alecrim e a sálvia, os componentes da fórmula, são poderosos tônicos não só para a mente, mas para todo o organismo. O alecrim é um poderosíssimo estimulante orgânico que favorece a atividade mental (memória) e atua contra o estresse e a ansiedade.

A sálvia contém grandes quantidades de flavonoides que estimulam o funcionamento do cérebro e podem ter efeitos sobre o humor.

Vários trabalhos mostraram que, depois de ingerirem uma cápsula de óleo de sálvia, voluntários imediatamente apresentaram melhor desempenho em exercícios nos quais deveriam lembrar palavras, principalmente em relação a pessoas que haviam ingerido placebo.

Participantes que tomaram o óleo disseram que se sentiam mais concentrados, tranquilos e satisfeitos.

Psicólogos da Universidade Nortúmbria em Newcastle, Inglaterra, descobriram que simplesmente cheirar o extrato de sálvia pode reproduzir alguns desses efeitos.

Em julho de 2010, os pesquisadores relataram que pessoas que se submeteram a uma bateria de testes por computador numa sala aromatizada com sálvia comum apresentaram memória mais precisa que aqueles que realizaram os mesmos exames em ambiente desodorizado.

Segundo os cientistas, outra razão para a folha de sálvia estimular a memória é o fato de ser rica em hispidulina, substância que parece interagir com receptores de células cerebrais formando ácido gama aminobutírico (Gaba) – um neurotransmissor que afeta justamente a cognição e os estados de ânimo.

E como é feito o elixir para a memória de alecrim e sálvia?

Vamos ensinar agora a receita.

Ingredientes

  • 1 litro de vinagre de maçã de boa qualidade
  • 2 colheres (sopa) de alecrim
  • 2 colheres (sopa) de sálvia
  • 100 mL de mel puro (se for diabético, faça sem mel)

Modo de Preparo

  • Lave bem as ervas e deixe-as secar completamente.
  • Coloque-as em uma garrafa com tampa e adicione o vinagre de maçã.
  • Se tiver diabetes, não precisa adoçar. Mas, se não tiver, coloque 100 mL de mel.

Guarde a garrafa num local escuro e livre de circulação do ar por 15 dias. Passado esse tempo, o remédio estará pronto para o consumo.

Tome 3 colheres (sopa) por dia. É bom tomar com um pouco de água. O ideal é fazer com as ervas frescas.

Mas, se não for possível, faça com as que se vendem desidratadas em lojas de produtos naturais. Neste caso, reduza a quantidade para 1 colher (sopa) de cada uma das ervas.

Essa receita vale a pena compartilhar!

Fonte: Cura pela Natureza