Rica em vitamina A, C, potássio e ferro, a batata-doce é um super alimento!

Muito nutritiva, esta apresenta um índice glicémico reduzido. Isto significa que ela é absorvida lentamente pelo organismo, não alterando os níveis de açúcar no sangue.

Neste post vamos apresentar-lhe 10 motivos para comer batata-doce regularmente, conheça-os:

1. Ajuda o organismo e queimar gordura e a ganhar massa muscular;

2. Controla a diabetes, devido ao seu baixo índice glicêmico;

3. É rica em fibras, o que faz com que diminua o apetite e ajude a emagrecer;

4. Possui vitamina A, que ajuda a fortalecer o sistema imunológico;

5. A vitamina A previne diversos tipos de câncer e ajuda a ter ossos fortes;

6. É um poderoso antioxidante;

7. Reduz o mau colesterol;

8. A vitamina E presente na batata-doce rejuvenesce a pele;

9. Controla a pressão arterial, pois é rica em vitamina C;

10. A vitamina C previne a anemia;

Agora que já sabe o que a batata-doce pode fazer pela sua saúde, do que está à espera para a incluir na sua alimentação? Assista ao vídeo e aprenda 3 receitas saudáveis com batata-doce que ajudam emagrecer.

Fonte: http://www.dicasonline.tv/dez-beneficios-batata-doce/

Você já deve ter visto em diversas embalagens o famoso pode conter traços de leite e glúten e outras substâncias consideradas alergênicas, mas o que isso quer dizer?

Eu recebo muitas dúvidas sobre essa questão e para auxiliar vocês a fazerem escolhas mais conscientes e seguras, resolvi falar sobre a rotulagem dos alergênicos ao que diz respeito do “pode conter traços de”.

Neste artigo aqui nós falamos sobre a nova legislação para rotulagem de alimentos, com foco na informação clara sobre alergênicos. Em julho de 2015, foi aprovada a resolução da Anvisa e os fabricantes tiveram 12 meses para se adaptar. Portanto, desde 3 de julho de 2016 é obrigatório destacar nos rótulos a presença dos principais alimentos que causam alergias, que são os abaixo:

Trigo, centeio, cevada, aveia e suas estirpes hibridizadas; crustáceos; ovos; peixes; amendoim; soja; leite de todos os mamíferos; amêndoa; avelã; castanha de caju; castanha do Pará; macadâmia; nozes; pecã; pistaches; pinoli; castanhas, além de látex natural.

Hoje já ficou BEM mais fácil para identificarmos qual produto leva ou não o que podemos comer, mas a dúvida do pode conter traços ainda confunde muita gente.

  • Quando está escrito: “Atenção alérgicos, contém:”Essa informação é para quando o produto contém o alimento/substância alergênica como um dos ingredientes. Veja o exemplo que retirei de documento da própria Anvisa, você pode conferir ele completo clicando aqui:

    Leite em pó integral instantâneo.

    Lista de ingredientes: leite integral e emulsificante lecitina de soja.

    O produto foi produzido a partir de um alimento alergênico (leite integral) com a adição de um aditivo derivado de outro alimento alergênico (soja). Assim, deve ser utilizada a advertência: ALÉRGICOS: CONTÉM LEITE E DERIVADOS DE SOJA.

    Alguns produtos ficam claros como esse, e outros, que têm uma infinidade de ingredientes (no meu ponto de vista totalmente desnecessários), ficam assim:

    Salgadinho de milho sabor queijo.

    Lista de ingredientes: milho, óleo vegetal de palma e preparado para salgadinho sabor de queijo (maltodextrina, sal, soro de manteiga, farinha de trigo, queijo, açúcar, óleo de soja e óleo de algodão, realçadores de sabor: glutamato monossódico, inosinato dissódico e guanilato dissódico, aromatizantes, reguladores de acidez: fosfato dissódico, ácido cítrico e ácido lático, corante artificial amarelo crepúsculo e corante caramelo).

Como a Anvisa explica:

O produto tem adição de um ingrediente composto (preparado para salgadinho sabor queijo) que possui diversos outros ingredientes, muitos dos quais também são ingredientes compostos que não tiveram sua composição detalhada (ex. queijo, sal, farinha de trigo). A partir da lista de ingredientes, verifica-se que o produto tem adição de derivados de leite (soro de manteiga e queijo), trigo (farinha de trigo) e soja (óleo de soja). Assim, a advertência a ser utilizada seria: ALÉRGICOS: CONTÉM DERIVADOS DE LEITE, TRIGO E SOJA. Entretanto, caso os outros ingredientes e aditivos alimentares utilizados sejam ingredientes compostos e contenham outros derivados de alimentos alergênicos em sua composição, estes também devem ser declarados.

Portanto, mesmo que o produto que você esteja comprando pareça que obviamente não terá trigo, leite, soja, etc, LEIA O RÓTULO!

  • Quando está escrito: “Pode conter traços de:”Quando está escrito “pode conter traços de” é levado em consideração a contaminação cruzada do produto/alimento em questão.

    O que é contaminação cruzada?

    A contaminação cruzada diz respeito aos casos em que o produto não tem adição intencional de determinado alimento alergênico ou seus derivados, mas pode apresentar traços desse alimento como consequência da presença incidental durante alguma etapa da sua fabricação, desde a produção primária até a embalagem e comércio.

    Ou seja, os “traços de” indicam que apesar daquele produto não ter o alergênico como ingrediente do preparo, ele pode ter sido plantado, manuseado, estocado ou produzido em ambiente que também passou aquele alergênico.

Veja, por exemplo, essa sopa que ganhei ontem (e que levantou muitas dúvidas em relação aos traços de):

Essa informação não quer dizer que talvez você encontre uma castanha, soja, pedaço de queijo ou farinha de trigo na sopa, mas sim que o ambiente em que ela foi produzida (neste caso um restaurante), produz alimentos com castanhas, leite, soja e trigo, e por isso a contaminação cruzada é possível.

  • Posso consumir o alimento que contém traços do alergênico?Essa é uma dúvida muito grande e a verdade é que depende do nível da sua sensibilidade. Casos de alergias extremas você NÃO DEVE CONSUMIR O PRODUTO QUE CONTENHA TRAÇOS.

    Já para casos de intolerância à lactose, a maior parte das pessoas não sente reações quando o produto pode conter traços de leite.

    Mas, lembre-se sempre que cada organismo é único e não existe regra geral.

    Portanto, converse com o profissional de nutrição e saúde que te acompanha e vejam qual a melhor estratégia para o seu caso!

Lembro novamente que para pessoas alérgicas, principalmente crianças, os traços devem ser evitados sim!!!

Celíacos também, os traços de glúten e a contaminação cruzada são prejudiciais e devem ser cuidados. Estou fazendo um post sobre isso, para tirar algumas dúvidas e falar sobre o meu caso específico.

  • Resumindo:
    – “Pode conter traços de” indica que o alimento/produto em questão indica a possibilidade de contaminação cruzada do alimento por algum alergênico, seja na etapa da sua fabricação, produção primária até a embalagem e comércio.– Não quer dizer que você vai encontrar um pedaço do ingrediente alergênico acidentalmente no seu alimento.

    – Não quer dizer que o fabricante não sabe o que pode ter dentro do alimento/produto que você está comprando.

    – Cada pessoa tem um nível de sensibilidade, portanto o consumo dos produtos que contêm traços deve ser avaliado caso a caso junto com o profissional de saúde.

Fonte: https://www.lactosenao.com/

Essa substância é extraída de uma árvore chamada canforeira (Cinnamomum camphora).

Há séculos que o ser humano a utiliza para tratar coceira na pele, aliviar o congestionamento nasal e combater dores nas articulações.

Também é possível cuidar de feridas, queimaduras e dores musculares.

Os chineses e alguns povos indígenas usavam e abusavam das propriedades medicinais dessa substância, tratando doenças e inserindo em ritos religiosos.

A cânfora tem uma aparência de cera branca, que pode ser vendida em forma de cubos, comprimidos, óleo ou até mesmo pó.

Trouxemos uma pequena lista para que você conheça e desfrute dos benefícios da substância natural:

1. Coceira na pele

A cânfora será absorvida pela pele, aliviando a coceira.

Você deve misturar um copo de óleo de coco e uma colher (chá) de cânfora esmagada.

Aplique a mistura na área afetada 1 ou 2 vezes ao dia.

Também é possível passar o óleo de cânfora.

2. Clareamento da pele

Você não faz ideia da maravilha que a cânfora pode fazer na sua pele.

Ela ajuda a nos livrar do acúmulo de bactérias, muitas vezes, a causa de acnes, e nos beneficia como agente anti-infeccioso.

Tudo o que você precisa é misturar duas gotas de óleo essencial de tea tree com um pouco de cânfora esmagada.

Feito isso, pegue um pedaço de algodão, molhe na mistura e aplique na pele.

3. Tratamento de queimaduras e feridas

A cânfora pode ajudar a curar pequenas queimaduras.

Ela não só alivia a dor e irritação, como também reduz as cicatrizes.

Misture dois cubos de cânfora em uma xícara de óleo de coco.

Depois, aplique a mistura na área afetada.

Repita o tratamento até ver o resultado esperado.

4. Cuidados com o cabelo

Cânfora trata a caspa, fortalece o cabelo, evitando quedas e estimula o crescimento dos fios.

Basta aplicar a cânfora com óleo de coco e massagear o couro cabeludo.

5. Alívio de dores

Se você está sofrendo com dor em torno de suas articulações e músculos, a cânfora pode ser a resposta que você está procurando.

Um estudo revela que o óleo cria uma sensação de aquecimento, aliviando a sensibilidade dos nervos sensoriais.

Ou seja, a dor desaparece rapidinho.

Para cãibras, você deve aquecer o óleo de gergelim e depois misturá-lo com cânfora triturada.

Feito isso, aplique a pomada natural nas articulações.

6. Tratamento para tosse e resfriado

O alívio é bastante rápido.

Misture partes iguais de óleo de amêndoas e um pouco de cânfora esmagada e esfregue suavemente no peito.

7. Tratamento contra fungos

Muita gente relata a cura de fungos nas unhas depois de passar Vick Vaporub, um medicamento que contém cânfora.

Isso porque ele tem propriedades antibiótica e ajuda a destruir o fungo e permite que seu dedo do pé respire livremente novamente.

8. Repelente de insetos

Sabemos o quanto os mosquitos podem incomodar.

Então é hora de deixar a cânfora entrar em sua casa!

A substância repele os insetos indesejáveis, deixando a casa limpa e agradável.

Este é um blog de notícias sobre tratamentos caseiros. Ele não substitui um especialista. Consulte sempre seu médico.

Fonte: http://www.curapelanatureza.com.br/post/09/2017/8-usos-medicinais-da-canfora-que-certamente-voce-nao-conhece

A pitanga é originária das regiões de Mata Atlântica e por isso é uma fruta brasileira. Mas você conhece todos os benefícios da pitanga?

Ela pertence à mesma família das mirtáceas e tem grande beleza externa, mas um sabor “azedinho”.

Inicialmente o fruto é na cor verde, depois segue para o amarelo e o alaranjado até o vermelho, que é quando está pronta para o consumo cru.

Embora seja uma fruta pequena, oferece muitos benefícios e aqui você vai conhecer quais são. Aproveite para consumir a fruta como um delicioso e saudável suco.

Os benefícios da pitanga na alimentação

  • A pitanga é uma fruta que quem faz dieta pode consumir sem medo, já que ela ajuda a emagrecer por conter poucas calorias.
  • Sem contar que, pelo seu suco ser uma bebida diurética, ele colabora com uma pele mais saudável e bonita, já que é rica em vitamina A. Ela é também uma fruta aromática, muito útil na preparação de doces, sorvetes, geleias e refrescos.
  • Consumir pitanga ajuda também na proteção das células contra danos causados pelo estresse e pela má alimentação. Isso ocorre porque essa é uma fruta rica em flavonóides, carotenóides e antocianinas, que são antioxidantes.

Essas substâncias oferecem mais benefícios, como:

  • Prevenção de doenças degenerativas
  • Combate de doenças inflamatórias
  • Prevenção de doenças cardiovasculares

Benefícios da pitanga para a saúde

  • A pitanga oferece uma boa quantidade de sais minerais e vitaminas, como vitaminas A, C e do complexo B. Além disso, ela oferece minerais, como potássio, ferro, cálcio e fósforo, que são antioxidantes muito poderosos.

Conheça os benefícios da pitanga

Benefícios da pitanga para perda de peso

  • A fruta ajuda no emagrecimento, já que possui baixa caloria. Sem contar que seu suco é ideal para quem faz dieta, pois a bebida é diurética.

Prevenção do envelhecimento precoce

  • Possui um poder antioxidante e por isso retarda o envelhecimento da pele, lutando contra os radicais livres.

Prevenção do câncer:

  • A pitanga possui antocianinas e fenóis em sua composição. Estas são substâncias que previnem doenças degenerativas e que atuam oferecendo proteção para as moléculas de DNA para que não sofram mutações que levam ao câncer.
  • Sem contar que a fruta tem uma substância que é responsável pela sua cor vermelha, o licopeno, este é um antioxidante também que é eficaz para combater diversas doenças.

Outros benefícios da pitanga

  • A pitanga é uma fruta que vai além de ser saborosa, pois ajuda a combater doenças inflamatórias, ajuda no tratamento de reumatismo e bronquite, previne doenças cardiovasculares, previne infecções na garganta e ajuda a manter uma pele mais bonita e saudável.
  • Sem contar que entre os benefícios da pitanga estão as folhas, que podem ser usadas para o tratamento de doenças estomacais, hipertensão e diuréticos.
  • Elas também possuem ação laxativa e calmante e o flavonóide presente nela tem participação na ação anti-inflamatória, além de fortalecer a imunidade.
  • Fora que a pitanga é conhecida como uma fonte para a beleza, pois ajuda a manter as unhas, cabelo e pele sempre saudáveis.
  • Isso porque ela contém vitamina A, que colabora com a produção de colágeno, deixando a pele hidratada e tonificada.
  • O extrato da folha da pitangueira atua contra vermes. O chá é excelente para combater doenças da próstata e também normaliza a pressão arterial.
  • As folhas da pitangueira têm uma substância chamada pitanguina, que é ótima para quem tem diabetes e é calmante.

Confira agora como aproveitar ao máximo os benefícios da pitanga com esse chá.

Para essa receita você vai precisar de:

3 colheres (sopa) da folha da pitangueira
1 litro de água

Como preparar:

Coloque o litro de água para ferver e assim que entrar em ebulição, adicione as folhas e aguarde por 2 minutos e então desligue o fogo e tampe a panela.

Beba ao longo do dia.

Se o chá for usado para tratar a próstata ou normalizar pressão ou glicose, consuma o chá dessa maneira por 30 dias.

Faça depois os devidos exames para avaliar os efeitos.

Além do chá das folhas, se for possível consuma também o fruto da pitangueira.

Importante:

O chá da pitangueira não deve ser consumido de forma exagerada, pois pode levar a perdas de potássio.

Por isso, quem tem problemas cardíacos não deve consumir este chá.

E então, você já conhecia os benefícios da pitanga? Compartilhe essas informações para ajudar as pessoas que precisam.

Fonte: https://dicasereceitas.net/post/2928

O orégano é uma erva nativa na Europa, África e sudoeste da Ásia.

Por ser típica da Turquia, onde é chamada de “kekik”, fomos encontrar neste país os principais produtores de seu óleo essencial. Estudos feitos na Universidade de Anadolu na Turquia usando o Orégano de vaso (Origanum onites) no tratamento de tumores malignos nos pulmões de ratos mostraram que o óleo essencial de orégano não só parou o crescimento dos tumores assim como os fez regredirem em seu tamanho, voltando o tecido pulmonar ao seu estado normal, claro e rosa.

Apesar da pesquisa ter sido feita com ratos, existem grandes evidências para a eficácia do uso do óleo de orégano no tratamento de câncer em humanos. A primeira está justamente em sua composição química. São mais de 40 princípios ativos diferentes, sendo que o principal, presente em torno de 65-80%, seria o carvacrol.

Este composto possui propriedades antibacterianas, anti-inflamatórias, anti-melanômicas, antioxidantes, anti radicais livres, antifúngicas e anticancerígenas, todas comprovadas cientificamente.

Além do carvacrol existiriam mais de 10 compostos (timol, limoneno, etc) presentes no óleo essencial e considerados todos de propriedades antitumorais, anti-carcinogênicas e preventivos do câncer, dados estes obtidos do USDA’s Agriculture Research Service.

Em experiências práticas o orégano têm-se mostrado extremamente eficaz no tratamento de infecções de todos os tipos e processos inflamatórios que incluiriam furúnculos, feridas inflamadas, pneumonia, acne, sinusite, amidalite, artrite, tuberculose, etc, problemas estes, muitas vezes anteriormente tratados com antibióticos alopáticos e não resolvidos.

Hoje, o grande problema destes antibióticos está no fato das bactérias estarem criando resistência a eles. Remédios que a dez anos atrás faziam efeito hoje já não servem para tratar as mesmas doenças.

Mas com óleos essenciais retirados da planta acontece um processo interessante e que vêm sendo estudado: as bactérias e micro-organismos em geral não criam resistência ao longo do tempo.

A explicação para isso estaria talvez no fato do óleo essencial ser proveniente de uma complexa engenharia biológica presente na planta que produz um produto totalmente exclusivo seu, feito especificamente para resistir ao meio ambiente.

Outra explicação estaria no fato de óleos essenciais naturais possuírem uma frequência energética muito alta, o que por observações in vitro comprovou-se ter uma ação inibitória do crescimento de bactérias.

Outras pesquisas sobre o uso do óleo essencial dos oréganos já vieram a comprovar que suas propriedades vão ainda mais longe:

Em 14 pacientes que receberam administração oral de 600mg de óleo de orégano por dia após 6 semanas tiveram um completo desaparecimento de parasitas intestinais como Entamoeba hartmanni, Endolimax nana e Blastocystis hominis.

Também constatou-se, à uma diluição de 2%, completa eliminação em culturas de Candida albicans (Cândida), Enterococcus fecalis, Pseudomonas aeruginosa, Staphylococcus aureus, entre muitos outros.

Em uma observação do centro Aeron de Biotecnologia na Califórnia, constatou-se o potencial de diversas ervas utilizadas como tempero na alimentação terem uma atividade hormonal, auxiliando inclusive no equilíbrio de distúrbios menstruais e tendo uma ação reguladora do crescimento de células cancerosas no útero.

Entre estas cita-se o orégano e mais uma dezena de outras como o tomilho, soja, damiana, verbena, lúpus, etc.

Esta observação soma-se a outra feita sobre os efeitos antioxidantes de ervas empregadas como temperos no Mediterrâneo e que tem ocasionado uma baixa de casos de mortalidade por doenças cardíacas em pessoas que consomem a dieta típica da região.

Em países orientais onde se utilizam muitas ervas como tempero, o índice de distúrbios homonais e cardíacos é bem inferior àquele observado nas pessoas habituadas à típica dieta ocidental.

A Faculdade de Medicina e Farmácia do Marrocos demonstrou uma ação moluscicida dos óleos de orégano (Origanum compactum) e Erva-de-Santa-Maria (Chenopodium ambrosioides) a 2.00-2.23 mg/litro respectivamente, o que acusa a possibilidade do uso dos óleos essenciais destas plantas no combate a lesmas dos jardins.

Também a Faculdade de Farmácia da Turquia demonstrou uma atividade do óleo de orégano (Origanum onites) como efetivo na prevenção do diabetes melitus, e como retardador do desenvolvimento de uma série de complicações advindas com a doença.

Também estudou-se a possibilidade de efeitos do óleo sobre os níveis de glicose do sangue, mas nenhuma alteração neste sentido foi constatada.

Pesquisadores da Universidade de Anadolu na Turquia descobriram a relação entre a atividade analgésica do óleo de orégano com seu teor de carvacrol. Carvacrol é um componente de ação inibitória da síntese de prostaglandinas.

O orégano foi examinado neste estudo comparativamente à morfina. Em um teste padrão conclusivo. Atividades analgésicas (anti-nociceptivas) da morfina, fenoprofeno e óleos essenciais obtidos de oréganos nativos foram comparados.

Os resultados foram chocantes. O óleo de orégano provou ser quase efetivo contra a dor como a morfina e mais efetivo que o fenoprofeno.

Em conclusão, óleos essenciais de oréganos possuem ação analgésica dose-dependente tendo como base o teor de carvacrol.

Outras pesquisas com o orégano mostraram eficácia no tratamento da gengivite e inflamações por uma ação inibitória da síntese de prostaglandinas.

Por fim, não poderíamos deixar de mencionar a necessidade de haver uma distinção das espécies de oréganos. Existem dezenas de plantas com esse nome, algumas nem pertencentes à família das labiatas (às quais os oréganos, manjeronas, tomilhos e manjericões fazem parte), como é o caso do orégano mexicano (Lippia graveolens).

O orégano mexicano possui um óleo essencial composto por 50% de timol, 12% de carvacrol, 9% de p-cimeno e outros terpenóides.

Outro importante fator a ser falado aqui é sobre a importância em saber-se se o óleo de orégano que você tem em mãos possui princípio ativo para aquilo que é indicado.

Existem drásticas diferenças entre os tipos de óleo de oréganos e a mesma planta poderá produzir óleos essenciais com teores bem diferenciados de compostos como o Origanum vulgare ssp. vulgare que possui óleo essencial com 0.7% até 80% de carvacrol.

Em substituição ao carvacrol poderão surgir outros compostos como timol, linalol, etc. Os melhores óleos possuem teores superiores a 60% de carvacrol. Dentre as espécies existentes temos:

Orégano comum (Origanum vulgare ssp. vulgare)

Também conhecido como orégano selvagem é o mais comum de todos comumente empregado em pizzas. Para aquilo que o orégano é normalmente indicado, este deve possuir uma porcentagem de no mínimo 60% de carvacrol, para que sua ação anti-microbial, anti-inflamatória e anti-carcinogência esteja presente.

Alguns óleos desta espécie, como o proveniente da Espanha e com baixo teor de carvacrol (0.5-0.7%), possuem timol substituindo este componente, fazendo com que o óleo de orégano se assemelhe em muito, não só em cheiro mas também em indicações, ao óleo de tomilho.

A planta seca possui em torno de 5% de óleo essencial.

Orégano selvagem e orégano lavanda (Origanum dubium var.carvacrol , var. linalol )

O óleo essencial deste tipo de orégano, apresenta-se com duas variedades químicas naturais, o quimiotipo carvacrol, muito semelhante ao orégano comum inclusive em teores de pricípios ativos, e o quimiotipo linalol, o que faz que este último seja conhecido na Turquia como “lavanta kekik” (orégano lavanda).

Os turcos normalmente preferem este óleo como remédio caseiro, por possuir um aroma mais agradável do que o do óregano comum e possuir duplo efeito terapêutico. Ele possui alto teor de carvacrol, assim como de linalol (um componente típico da lavanda que lhe traz propriedades calmantes, citofiláticas e sedativas).

É endémico da Turquia somente existindo numa pequena região do sudeste e em nenhuma outra parte do mundo. É excelente para inalações, em problemas de pele, infecções e inflamações em geral, como antisséptico e estimulante do sistema imunológico.

O orégano selvagem possui aroma picante, ao mesmo tempo que herbáceo, já o orégano lavanda, um aroma que lembra o óleo de pau-rosa e possui usos similares ao tomilho QT linalol ou tomilho serpolet (Thymus serpyllum).

Orégano de vaso (Origanum onites = Majorana onites)

Conhecido também como manjerona de vaso (“pot marjoram”) ou manjerona francesa, possui flores de coloração branca ou roxa.

Este tipo de orégano tem sido utilizado em pesquisas no tratamento de câncer, mas por similitude química, os outros oréganos com um alto teor em carvacrol possuirão propriedades bem semelhantes. Seu aroma é tipicamente picante.

Orégano da Turquia (Origanum vulgare ssp. hirtum)

Este seria o melhor tipo de orégano para pizzas. Somente floresce no verão na Turquia e suas flores são de cor branca. Seu aroma é forte, quente e penetrante.

Suas folhas secas possuem cerca de 3% de óleo essencial, dependendo das condições de cultivo e ambientais. Possui alto teor em carvacrol (80%).

Dificilmente é encontrado no comércio seu óleo essencial, dado inclusive à sua limitação geográfica (somente existe na Turquia).

Manjerona (Origanum majorana = Majorana hortensis)

A manjerona foge justamente do forte aroma dos oréganos, apesar de pertencer à mesma família, é de cheiro mais suave, calmante e relaxante. Possui insignificantes flores brancas ou rosas que se abrem em meio ao verão.

Esta espécie é encontrada em várias partes do mundo e, países como a Turquia, Índia, França, Inglaterra e Egito, são responsáveis pela produção de seu óleo essencial. Possui ação anti-inflamatória, sedativa e calmante dos nervos.

É normalmente indicado no tratamento de distúrbios menstruais (TPM, cólicas), digestivos (fígado) e respiratórios (tosse).

Seu aroma traz uma sensação de conforto e harmonia, por isso é considerado um óleo de qualidades anti-stress. Anti-bacteriano e anti-fúngico forte e de boa eficácia.

Possui teor alto de terpinen-4-ol (cerca de 25-30%), principal componente responsável pelas propriedades antibióticas do óleo de tea tree.

Em caso de necessidade a manjerona pode ser uma substituta para o óleo de tea tree apresentando resultados tão bons quanto este contra infecções e com a facilidade de ser mais tolerável pelas pessoas devido ao seu aroma mais delicado.

Outras espécies da família dos oréganos seriam: Origanum vulgare ssp. viride, O. vulgare ssp. compactum, O. dictamnus, O. laevigatum, O. vulg. ssp. variegatum, O. vulg. ssp. aureum, etc. Também existem parentes próximos e plantas com o mesmo nome: Thymus capitatus (Orégano espanhol), Timbra (Thymbra spicata), etc.

Autor
Fabian Laszlo
Cientista aromatólogo

Estes óleos essenciais você encontra na

LASZLO
www.laszlo.ind.br

Confira os melhores antibióticos naturais para combater infecções, os antibióticos são remédios capazes de combater uma infecção causada por microrganismos. Quando o sistema imunológico está sobrecarregado, eles podem ser muito úteis.

O problema é que as pessoas abusam do consumo de antibióticos e, como resultado, muitas bactérias terminam criando resistência a eles.

Os antibióticos podem ser a salvação, em alguns casos, quando usados apropriadamente.

O QUE FAZER PARA EVITAR ISSO?

Consumir alimentos que são verdadeiros antibióticos naturais e que não oferecem risco de saúde nem de criar superbactérias.

Esse antibióticos naturais devem ser usados de forma regular numa rotina que visa à prevenção.

Os antibióticos que você compra na farmácia existem há menos de cem anos, enquanto os antibióticos naturais têm sido usados por mais de 2.000 anos.

1. AÇAFRÃO-DA-TERRA

Para muitos, nenhum outro alimento tem atividade antibiótica maior que a açafrão-da-terra.

Os indianos já sabem disso e a usam há milhares de anos para combater dor de garganta e outras infecções.

Consuma açafrão (se possível combinada com pimenta-do-reino) e sentirá uma maior resistência do seu corpo.

2. LIMÃO

A elevada percentagem de potássio e vitamina C do limão faz com que seja um forte anti-bacteriano.

A fruta pode ser consumida pura ou na forma de suco com um pouco de mel.

3. MEL

O mel é especial para combater infecções e suas enzimas ajudam a eliminar as bactérias.

4. ALHO

O alho tem forte ação antibiótica e uma grande quantidade de antioxidantes.

Ele elimina as bactérias que estão alojadas no nosso sangue e ajuda a manter nosso sistema imunológico forte.

5. CEBOLA

Graças à sua elevada percentagem de enxofre e flavonóides, é excelente para problemas respiratórios, como gripe, bronquite e faringite.

6. GENGIBRE

O gengibre é muito potente para combater infecções e aliviar dores.

Você pode tomá-lo como chá ou adicioná-lo em sucos.

7. ALECRIM

O alecrim é outro potente antibiótico natural.

Ele possui intensa atividade bactericida, além de propriedades anti-virais.

O chá de alecrim ajuda a combater os germes que podem invadir o organismo e causar infecções.

8. CANELA

A canela tem uma longa história tanto como especiaria quanto como medicamento.

Seus óleos essenciais são poderosos no combate a vírus, bactérias e fungos.

Procure consumir canela das mais diversas formas (chá, sob frutas, no suco…) e pouco a pouco construirá uma forte proteção contra infecções.

A canela, todavia, é contra-indicada para quem tem pressão alta e seu consumo também deve ser evitado durante a gravidez.

9. VINAGRE DE MAÇÃ

Ele contém ácido málico, uma substância exterminadora de vírus e bactérias.

O vinagre de maçã, consumido regularmente, age fazendo uma limpeza e evitando a proliferação de microrganismos patogênicos no nosso organismo.

10. FOLHAS DE OLIVEIRA

Ela têm uma incrível capacidade de destruir uma grande variedade de vírus, fungos e bactérias.

Este potente antibiótico natural pode ser tomado para ajudar a combater todos os tipos de infecção.

A mandioca é um tubérculo usado durante séculos por milhões de pessoas, também conhecida como aipim ou macaxeira.

É originária das regiões florestais da América do Sul, mas também presente em partes da Ásia, África e EUA.

Apesar de ser um carboidrato, apresenta índice glicêmico baixo, além de ser livre de glúten.

Existem dois tipos principais: mandioca doce e mandioca amarga.

As raízes de mandioca doce contêm menos de 50 mg por quilograma de cianeto de hidrogênio, enquanto que a variedade amarga pode conter até 400 mg por quilograma.

Apresenta vida útil de apenas alguns dias, devendo, portanto ser consumida logo.

Nós não temos o hábito, mas as folhas também são usadas para alimentação e contêm cerca de 100 vezes mais proteínas do que a raiz.

Benefícios da mandioca

  1. Isenta de glúten, a mandioca é extremamente útil para pacientes celíacos e outros que tentam evitar o glúten.
  2. Apresenta índice glicêmico baixo (GI) e melhora a sensibilidade à insulina, portanto, bom para os diabéticos.
    Como promove liberação de glicose na corrente sanguínea a uma taxa estável e sustentada, mantém os processos metabólicos e os níveis de energia equilibrados no organismo.
  3. Colabora no controle dos níveis de triglicerídeos e outros lipídios no sangue, sendo, portanto, excelente para perda de peso, além de reduzir o risco de doença cardíaca.
  4. Diminui o apetite e reduz o armazenamento de gordura a nível celular.

Contém

  1. Saponinas que aliviam a inflamação e corrige a ecologia intestinal.
  2. Contém amidos resistentes à degradação, não digeríveis, benéficos como alimento das bactérias boas do cólon, podendo reduzir a inflamação e as bactérias nocivas.
  3. As vitaminas do complexo B
  4. Rica em minerais como:
  • ferro, componente importante das proteínas carreadoras de oxigênio.
  • zinco, ativador imunológico.
  • cálcio, que ajuda a formar ossos e dentes fortes.
  • magnésio, otimiza a função mitocondrial.
  • potássio, sintetiza as proteínas e melhora a relação com sódio; regulador dos estímulos elétricos do coração
  • manganês, essencial para o tecido conjuntivo e para a produção dos hormônios sexuais.

Precauções sobre a mandioca

Não consumir mandioca crua para evitar a presença do composto tóxico linamarin. Ele se converte em cianeto de hidrogênio e interfere no metabolismo celular, inibindo a enzima citocromo-oxidase e podendo causar sintomas de vômitos, náuseas, tonturas, dores de estômago, dor de cabeça, paralisia irreversível e até mesmo a morte.

Com esse cuidado, coloque a mandioca na sua alimentação. Ela é uma opção incrível e extremamente saudável.

Aproveite!

Referências bibliográficas:

  • Authority Nutrition Resistant Starches 2012-2016
  • Br J Nutr. 2010 March:103(6):917-22
  • Am J Clin Nutr 1994 Oct.;60(4):544-51
  • Am J Clin Nutr 2005 Sept.;82(3):559-67
  • Am J Gastroenterol 2012 Oct.;107(10):1538-44
  • Proc Nutr Soc. 2003 Feb.;62(1):171-6
  • Food Nutr Bull. 2009 March;30(1):90-4
  • Diabetes Care 2006 May;29(5):976-81

Sabe aquela alimentação super saudável que você tem procurado fazer?

Por acaso você já parou pra pensar no tipo de utensílio que tem usado para prepará-la?

Pode ser que você esteja colocando tudo a perder!

Que tipo de panela você tem usado? Se for de teflon, sinto informar que está correndo riscos!

Por incrível que pareça, sempre que se procura o máximo de conveniência, acaba se esquecendo da saúde humana, e um exemplo disso são os utensílios antiaderentes revestidos com teflon.

Quando aquecidos, eles têm se mostrado uma fonte primária de um derivado tóxico de fluoreto, conhecidos como produtos químicos perfluorados – no caso o ácido perfluorooctanoico (PFOAs) – usados para criar revestimentos antiderrapantes e resistentes ao calor em utensílios de cozinha.

Com o aquecimento, essas substâncias são facilmente absorvidas pelo seu corpo.

Elas foram associadas a um número crescente de preocupações com a saúde, como doença da tireóide, infertilidade em mulheres e problemas de desenvolvimento e reprodução em animais de laboratório.

Como o PFOA danifica sua tireóide e saúde

Um estudo realizado com cerca de 4 mil adultos, entre 1999 e 2006, avaliou a exposição a utensílios que continham PFOA e a manifestação de problemas de tireoide. A pesquisa descobriu que quanto maior a concentração dessa substância, maior a manifestação de alterações tireoidianas, que podem levar a doenças cardíacas, infertilidade, fraqueza muscular, osteoporose e, em casos extremos, coma ou morte.

Além de potencialmente prejudicar sua tireoide, esses produtos químicos desagradáveis também foram associados a nascimentos de bebes de baixo peso segundo a Agência de Proteção Ambiental dos EUA (EPA).

Além destes riscos de desenvolvimento, o PFOA compromete a reprodução humana, tendo sido associado a um aumento de 60% a 154% na chance de infertilidade!

O PFOA está também associado a tumores, especialmente o câncer de próstata, em trabalhadores de indústrias que lidam com esse produto, além de outros tipos de câncer, como fígado, pâncreas, testículo e mama.

Segundo estudo de sete anos de pesquisa, mesmo em níveis de exposição muito baixos, os cientistas correlacionaram PFOA também com: Colite ulcerativa e colesterol elevado.

Então, que utensílios usar?

1) Use cerâmica ou vidro, que são fáceis de limpar, e não há absolutamente nenhum risco de exposição a substâncias químicas nocivas.

2) Evite:

  • Panelas antiaderentes de Teflon e tipos similares
  • Sacolas de pipoca de microondas
  • Embalagem para alimentos gordurosos

Referências bibliográficas:

  • EPA.gov Health Advisories for PFOA and PFOS
  • C8 Science Panel Research Studies
  • Environmental Health Perspectives January 7, 2010
  • Environmental Working Group August 20, 2015
  • Environmental Science and Technology Letters August 9, 2016

Fonte: http://www.drrondo.com/

Foto: Reproduçãod

Com o nome científico Mikania glomerata spreng, o Guaco também é popularmente conhecido como erva de cobra, cipó-catinga, guacoliso, coração de Jesus e Guaco de Cheiro.

Pode ser reconhecida por ser uma planta trepadeira lenhosa, capaz de atingir de 2m a 3m de altura. Possui ramos abundantes, flores amareladas e pequenas com suave aroma de baunilha, e folhas verde brilhante com formato de coração e perfume similar ao da abóbora quando amassada.

Originário da América do Sul, o Guaco pode ser encontrado em todas as regiões brasileiras, principalmente no Sudeste e Sul. Tornou-se popular não apenas por sua beleza ou aroma agradável, mas por suas excelentes propriedades medicinais.

O Guaco é recomendado para auxiliar o tratamento de tosses, gripes e resfriados, bronquite, infecções de garganta e de pele, reumatismo, rouquidão, asma, febre alta e alergias.

Outro grande benefício do Guaco é o auxílio que fornece para quem deseja perder peso, já que suas propriedades sudoríferas aumentam a eliminação de líquidos do corpo, eliminando toxinas, bactérias e o líquido extra responsável por provocar inchaço.Benefícios e propriedades

Suas principais propriedades são: expectorante, bronco-dilatador, antisséptico, antiasmático, cicatrizante, antirreumático, febrífugo e sudorífero.

Como utilizar?

Pelos muitos benefícios e propriedades citados acima, o Guaco é constantemente utilizado como medicina alternativa natural, para prevenir males ou auxiliar no tratamento de doenças já instaladas.

Para consumir o a planta basta preparar o chá, levando ao fogo duas folhas da planta juntamente com meio litro de água fervente. Deixe ferver por cinco minutos e então desligue. Abafe e aguarde até que a temperatura esteja ideal para consumo.

Beba duas xícaras ao dia, ou uma colher de chá de quatro em quatro horas, como xarope.

No caso de tratamento para problemas externos, como áreas lesionadas ou reumatismos, repita o procedimento acima, mas ao invés de beber, embebe uma toalha limpa no líquido e a aplique como compressa no local afetado, três vezes ao dia.

Contraindicações e efeitos colaterais

O consumo do Guaco é contraindicado para pessoas que fazem uso de anticoagulantes; crianças com menos de um ano de idade e indivíduos que sofram de doenças no fígado.

Se utilizado em exagero ou por tempo prolongado, pode ter como efeito colateral hemorragias, diarreia, vômitos e aumento dos batimentos cardíacos.

É importante ressaltar que qualquer tratamento médico, seja natural ou não, deve ter acompanhamento e orientação médica.

Caso desenvolva qualquer reação indesejável com o uso do Guaco, interrompa-o imediatamente e busque seu médico de confiança.

Fonte: https://www.remedio-caseiro.com/guaco/

Os médicos nunca pensam além da “pequena pílula azul” para os homens quando se trata de problemas sexuais. Mesmo que suas drogas mais populares causem dores de cabeça, problemas de visão, dor muscular e muito mais… E as opções de tratamento para as mulheres são ainda piores.

Os afrodisíacos naturais estão disponíveis em todo o mundo, mas só são bem valorizados pela população, normalmente não despertando o interesse da classe médica.

Porém, as pessoas, especialmente as mais velhas, sempre sabem o que plantas ou ervas podem fazer por você.

Eu estou falando da damiana

Também chamada de Turnera diffusa ou “hierba de la pastora”, é uma erva originária da América Central e do Sul.

Tem sido usado por muito tempo, desde os astecas e os maias, como um afrodisíaco forte, muitas vezes chamada de “Turnera aphrodisiaca”.

E a erva funciona tanto para homens como para mulheres. Nos homens, proporciona o mesmo tipo de efeito que a droga mais popular para disfunção erétil. Nas mulheres, promove aumento de libido e intensifica o orgasmo.

Por que funciona

Um estudo da Universidade do Havaí descobriu que as mulheres que tomaram damiana apresentaram orgasmos mais intensos e frequentes.

Estudos mostram que a ingestão de extrato de damiana ajuda a melhorar o fluxo sanguíneo e a manutenção das terminações nervosas na genitália, o que pode ajudar a resolver as insuficiências sexuais e a disfunção erétil.

Pesquisadores da Universidade de Buenos Aires descobriram que ela relaxa e amplia as artérias intrapenianas, o que permite que mais sangue passe, levando a uma ereção.

Um estudo da Itália descobriu que damiana melhorou o desempenho de ratos impotentes.

É usada no Brasil e na América Central como um tônico para melhorar a saúde geral das pessoas, auxílio no tratamento de depressão, ansiedade e ataque de pânico.

Damiana tem sido usada para ajudar a impulsionar o desejo sexual e reduzir os níveis de estresse, mas pode oferecer mais do que apenas isso:

  • Um relaxante do sistema nervoso
  • Alivia depressão leve
  • Regula a menstruação
  • Alivia inchaço e cólicas menstruais
  • Ação diurética
  • Efeito laxante
  • Alivia sintomas da síndrome pré-menstrual (PMS)
  • Ajuda no tratamento da asma
  • Ação anti-séptica de vias urinárias
  • Alivia os sintomas da menopausa.

Geralmente tomado na forma de chá de Damiana. Veja como prepará-lo.

Para um copo:

  • Coloque 1 a 2 colheres de chá cheias de folhas de damiana em uma xícara.
  • Despeje 1 xícara de água fervente sobre as folhas.
  • Permitir que o chá se infunda durante 15 a 20 minutos. Em seguida, coloque em uma xícara.
  • Adoce com uma colher de chá de mel cru e orgânico, ou stevia

Aprecie!

A planta

Cresce até 2 metros (6.56 pés) de altura e tem folhas serrilhadas verde-pálidas. As flores de damiana têm uma cor amarela distinta, e geralmente crescem quando as folhas estão prontas para serem colhidas.

A folha damiana é considerada a parte mais importante da planta por causa de vários usos. De acordo com estudos, as folhas de damiana contêm vários flavonóides, taninos e outros compostos, o que explica como ele pode afetar positivamente o corpo humano.

Trata-se de uma solução natural e barata. Aproveite!

Referências bibliográficas:

  • Kumar S., et al. “Pharmacological evaluation of Bioactive Principle of Turneraaphrodisiaca.” Indian J Pharm Sci. 2008 Nov-Dec; 70(6): 740–744.
  • Arletti R., et al. “Stimulating property of Turneradiffusa and Pfaffiapaniculata extracts on the sexual-behavior of male rats.” Psychopharmacology (Berl). 1999 Mar;143(1):15-9. 6.
  • Entheology.com, Turneradiffusa – Damiana Leaf
  • Chevallier, Andrew, Encyclopedia of Herbal Medicine
  • Global Herbal Supplies, February 2, 2010
  • The Period Vitamin, Using Damiana Leaf for the Treatment of PMS
  • Napiers the Herbalist, Damiana

Fonte: http://www.drrondo.com/damiana-vida-sexual/